Marca Maxmeio

Postado às 19h04 DestaqueFotografia Nenhum comentário
A exposição fotográfica coletiva “Dança do Toré” é uma homenagem ao Dia do Índio, comemorado na data de 19 de abril.

A exposição fotográfica coletiva “Dança do Toré” é uma homenagem ao Dia do Índio, comemorado na data de 19 de abril.

Redação/Portal de Notícias e fotojornalismo/eliasjornalista.com

A exposição fotográfica coletiva “Dança do Toré” homenageia o Dia do Índio que é comemorado dia 19 de Abril. As fotos foram realizadas a partir de 2012, pelos fotógrafos Cláudio Marques, Adrovando Claro e Fernando Pereira, que são membros do Foto Clube de Natal. A mostra fica de 13 a 23 de abril no Parque da Cidade.

Como na maioria dos grupos indígenas localizados no Nordeste, o Toré é uma importante prática ritual, capaz de balizar as diferenças internas, projetando os grupos nas situações de contato. No caso dos Potiguaras, o Toré é geralmente realizado nas comemorações do Dia do Índio (19 de abril), sendo pensado como um “ritual sagrado” que celebra a amizade entre as distintas aldeias, realçando o sentimento de grupo e de nação. É uma dança que está na própria percepção e representação da tradição coletiva, sendo, portanto, um elemento essencial para eles se pensarem enquanto possuidores de um passado histórico comum.

O Toré é aberto com o discurso do cacique afirmando a importância daquele ritual para a tradição. Em seguida, todos ficam de joelhos e cabeça baixa fazendo uma oração silenciosa (rezam o pai-nosso cristão), nesse momento as pessoas se posicionam em três círculos: o menor, no centro, ficam os “tocadores” de zabumba e de gaita e o que “puxa as cantiga”; no outro círculo, um pouco maior, ficam as crianças e os adolescentes participando com a dança; e no terceiro, o maior todos, os índios (homens e mulheres), vestidos ou não com trajes do Toré, participam da dança cantando, dançando e tocando o maracá.

O cacique geral permanece entre os círculos, já os “caciques das aldeias” ora ficam no terceiro círculo, ora acompanham o “cacique geral”, todos com maracás na mão, dançando e cantando, sempre em movimentos circulares no sentido horário.

As fotos foram realizadas a partir de 2012, pelos fotógrafos Cláudio Marques, Adrovando Claro e Fernando Pereira, que são membros do Foto Clube de Natal, localizado no bairro Pitimbu. Os fotógrafos acompanharam algumas viagens culturais as aldeias de São Francisco e do Forte em Baia da Traição (PB). A mostra fica de 13 a 23 de abril no Parque da Cidade.

Fotógrafos participantes:

Cláudio Marques, repórter  fotográfico free lancer desde 1996, colabora com jornais e revistas e atua em assessorias de imprensas. Sócio do Foto Clube de Natal.

Adrovando Claro, repórter fotográfico free lancer desde 1993 colaborou com jornais e revistas locais e atua como colaborador em vários bancos de imagens e agencias de fotografia pela internet. Colaborador e membro do Foto Clube de Natal.

Fernando Pereira, Jornalista e fotojornalista, trabalhou com assessoria de imprensa e eventos sociais. Realiza ensaios fotográficos periodicamente para exposições fotográficas. Ganhador de vários prêmios com concursos fotográficos a nível estadual, nacional e internacional. Colaborador e membro do Foto Clube de Natal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *