Marca Maxmeio

Postado às 14h04 CidadeDestaque Nenhum comentário

Assembleia comemora 30 anos do Instituto Dom Bosco e 35 anos do conjunto Gramoré. (Foto: Eduardo Maia).

Homenageados. (Foto: Eduardo Maia).

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, homenageou na manhã desta segunda-feira (16), as três décadas do Instituto Educacional Dom Bosco e os 35 anos do conjunto Gramoré, no bairro de Lagoa Azul, Zona Norte de Natal. A iniciativa foi da deputada Márcia Maia (PSDB).

“O Centro Educacional Dom Bosco, que aqui, rendemos homenagens pelos seus 30 anos de fundação e atividades naquela localidade, possui uma estrutura que tem transformado a vida de crianças, jovens e adultos de forma belíssima”, destacou a parlamentar.

Sob o comando do Padre Gilvan Galdino Tavares, presidente do Centro, auxiliado por um grupo eclesiástico determinado a fazer o bem, o Centro atende 1,3 mil pessoas mensalmente. São quase 60 funcionários dedicados e especiais, dispostos a transformar vidas e a realidade do próprio Conjunto Gramoré. “A própria população do Gramoré e região abraça o Dom Bosco como um patrimônio de sua comunidade pela importância que tem”, ressaltou Márcia Maia.

Ao todo são mais de 900 crianças e adolescente que integram o serviço de convivência e fortalecimento de vínculo, recebem apoio pedagógico, praticam esporte e participam de oficinais artísticas durante a semana. O espaço, em parceria com outras instituições e empresas, oferece também um programa de aprendizagem que garante a primeira experiência profissional, além de qualificação profissionalizante em diversas áreas para centenas de pessoas.

O titular para a Inspetoria Salesiana do Nordeste do Brasil, Padre Luís Nivaldo Pessinatt, saudou todos os presentes e iniciou seu discurso falando sobre o motivo pelo qual ocupou esse espaço incorrendo a própria história do Padre Dom Bosco, que começou o seu trabalho ajudando a reencaminhar jovens detentos para a vida.

“A educação é a estratégia mais adequada para promover um bem social”, disse o padre Luís Nivaldo Pessinatt. Na ocasião ele citou os três pilares em que se sustentam a proposta educativa do Dom Bosco: o primeiro é a premissa que todo processo da educação é baseado na razão, pois somente se educa quando se tem conhecimento do que se faz. A segunda diz respeito ao coração. “Equilíbrio entre o racional crítico, mas que tivesse esse lado emocional”, explicou. E por fim, um anexo entre a razão e a emoção que resulta na religião que de acordo com ele permite que as pessoas transcendam.

O bairro
Na ocasião a deputada Marcia Maia falou a respeito da importância do Conjunto Guamoré, fundado em 1983, e que hoje abriga quase 2 mil residências e seus cerca de 10 mil moradores. O local tem uma série de problemas a serem superados, como a questão do transporte público e as dificuldades quanto aos horários, frota reduzida e mudanças de itinerários sem aviso.

Na saúde os problemas são para garantir uma consulta em razão do número reduzido de profissionais na unidade de saúde do bairro. Filas precisam se formar na madrugada, muitas vezes, para os moradores garantirem um atendimento.
Outro tópico levantado durante a sessão solene foi a questão da segurança pública: “Um problema generalizado em todo nosso estado, mas que nem por isso, deve ser deixado de lado e precisa ser atacado com soluções locais, ampliação das rondas e do efetivo para atender melhor as comunidades”, ilustrou a propositora da sessão.

“Ao destacar o Gramoré e o Centro Educacional Dom Bosco, não homenageamos apenas aquelas pessoas públicas, nominadas, mais especialmente, as pessoas anônimas e que, de alguma forma, contribuem para o fortalecimento de suas comunidades, para a melhoria da qualidade de vida, que lutam diariamente em favor do bem comum”, encerrou Márcia Maia.

HOMENAGEADOS
Padre Luís Nivaldo Pessinatti; Maria de Fátima Barbosa da Silva; Valdeline Faria Bezerra; Paulo César Pereira; Sebastião Aguinaldo de Paiva Junior (Vice-presidente do Conselho comunitário do Conjunto); Miriam Ferreira; Marcelo Henrique Octávio de Souza; Rosilda de Oliveira Alves, recebeu o título in memória de Galdino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − quatro =