Marca Maxmeio

Postado às 18h10 FotografiaPlantão Nenhum comentário
Aldenôr Gomes, prateiro e designer, apresenta sua segunda coleção “É tempo de Margaridas”, que usa a prata para homenagear e unir exemplos de mulheres do sertão e do mundo. (Foto: Elisa Elsie).

Aldenôr Gomes, prateiro e designer, apresenta sua segunda coleção “É tempo de Margaridas”, que usa a prata para homenagear e unir exemplos de mulheres do sertão e do mundo. (Foto: Elisa Elsie).

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

Uma coleção de peças de prata que une – por meio de colares, pingentes, anéis, brincos – a história da luta das mulheres, colocando num mesmo conjunto Margarida Alves, a sindicalista morta violentamente na Paraíba e Frida Kahlo, artista plástica que hoje é exaltada como exemplo de luta e empoderamento. Mas não só isso: é com prata também que a Marcha das Margaridas se junta à Marcha Mundial das Mulheres; e que as peças forjadas manualmente também homenageiam o erotismo e o encantamento da mulher sertaneja.

É esse universo que será apresentado na vernissage da exposição “É tempo de Margaridas”, do designer e prateiro Aldenôr Gomes, que acontece dia 6 de outubro próximo, no Espaço Duas, a partir das 19h30.

A inspiração para essa coleção de exaltação ao feminino surgiu naturalmente. Após sua primeira exposição, “Outonianas”, inspirada nas flores do sertão, Aldenôr se viu sem tema para uma segunda coleção. Na época, conversando com sua curadora, a artista visual Mariana do Vale, sobre qual tema explorar, ele recebeu um conselho e aceitou: “Não se preocupe. Você não está mais na academia, não precisa se preparar para uma tese. Vá trabalhando no que te emociona, depois você vê o que fazer com isso”, conta.

E ele apostou nisso. “Eu continuei a trabalhar e me vi fazendo flores. E as flores sempre tinham a imagem de margaridas”. E acrescenta, relembrando como decidiu o tema da segunda exposição: “Quando pensei em margaridas, logo me veio à mente a líder sindical que foi barbaramente assassinada na Paraíba. Ah, vou trabalhar com as margaridas, em homenagem a Margarida Alves”

Daí para começar a ampliar a temática, foi instantâneo. “Quando comecei a trabalhar, eu lembrei que Margarida Alves remetia à Marcha das Margaridas, promovida pelas mulheres rurais que passaram a se organizar para reivindicar seus direitos e participar da luta das mulheres no campo”.

Após isso, conta o artista, ele também começou a pensar em como a mulher do meio rural, do sertão, é sensual e possui um erotismo próprio. Dessa reflexão, já nasceram outras flores, na coleção.

E o jardim de prata de Aldenôr não parou de crescer: “Como eu achei que era muito pouco trabalhar só com as mulheres rurais do sertão da Paraíba eu passei à Marcha das Mulheres, e cheguei à Marcha Mundial das Mulheres, e isso me lembrou Frida Kahlo”, conta.

Ele explica que havia feito uma visita ao México e na elaboração da peças de prata lembrou-se da artista mexicana que hoje é símbolo da luta das mulheres no mundo. E foi dessa forma, com todas essas referências, que ele concluiu e batizou sua segunda coleção, “É tempo de Margaridas”.

Ao todo, o novo conjunto tem 30 peças, entre aneis, colares, brincos, adereços para chapéu, adereço para cachimbo, pingentes, entre outros. Os preços variam de R$ 150,00 a 600,00. Mas não basta ter dinheiro para comprá-los. “As peças estão à venda. Não faço joias, faço peças de prata que tem um significado para mim. Então sempre é algo doloroso pensar em vender. Todas as peças são únicas e exclusivas. Eu preciso criar uma empatia com a pessoa que vai comprar. Eu preciso saber com quem elas vão ficar”, brinca Aldenôr.

Para o futuro, uma terceira coleção, ele ainda não tem nada definido. Explica que precisa encerrar por completo um ciclo para poder iniciar o outro e só vai começar a pensar nessas novas peças após a exposição do dia 6 próximo.

Mas já há no imaginário do artista um apontamento do que pode vir a se tornar uma nova coleção. “Eu me encontro muito envolvido com o mundo da capoeira, a ideia da história dos negros, é possível que saia alguma coisa por aí. Mas é muito embrionário, não posso garantir”, comenta.

PRATEIRO

Aldenôr Gomes trabalha com prata desde 2014. Ele é professor aposentado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte desde 2009, após mais de 40 anos de estudo sobre o meio rural.

Em 2010, ele foi convidado para ser professor visitante no programa de pós-gradução de Ciências Sociais na Universidade de Campina Grande. Em 2014, ele resolveu parar.

“Estava um pouco desencorajado de trabalhar com o rural. Eu tinha toda uma vida de estudo, de pesquisa, de formação trabalhando com o rural. Inclusive, nesse período fui gestor de políticas públicas, ajudei a implantar o programa Fome Zero no Nordeste. Desde o início dos anos 70 eu via sempre a persistência da pobreza, da miséria no campo. Isso me deu uma tristeza tão grande que eu decidi: não vou mais pesquisar o rural. Vou fazer uma outra atividade que me dê um pouco mais de prazer”

Nessa época Aldenôr relembrou os tempos de seminário, quando ainda muito jovem se destacou pela habilidade em moldar metal. “Eu fazia terços”, conta. E, nesse intento, acabou descobrindo em Recife um professor que dava curso de ourivesaria em prata. “Eu fiz o curso de quatro meses. Daí saí e comecei a trabalhar com prata”.

SERVIÇO

Exposição “É tempo de Margaridas”

O quê: vernissage de coleção composta por 30 peças em prata inspiradas em exemplos de luta, resistência e beleza de mulheres do sertão e do mundo

Onde: EspaçoDuas/Duas Estúdio – Rua Praia Diogo Lopes, 2197 – Ponta Negra (referência: próximo à praça do Disco Voador)

Quando: Dia 6 de outubro, sexta-feira, a partir das 19h30

Por que: oportunidade de ver como o artista traduziu para um universo tão particular, que é a ourivesaria em prata, as lutas, as belezas, os desejos e sonhos de mulheres que inspiram outras mulheres a tornar o mundo mais justo e belo.

Entrada gratuita 

CONTATO PARA ENTREVISTAS

Aldenôr Gomes 99992-7130 (Whatsapp)

Duas Estúdio

Elisa Elsie e Mariana do Vale

84 99982.7193 | 84 99664.8789

www.duasestudio.com

facebook.com/duasestudio

@espacoduas

 

Postado às 18h10 FotografiaPlantão Nenhum comentário

 Aldenôr Gomes, prateiro e designer, apresenta sua segunda coleção “É tempo de Margaridas”, que usa a prata para homenagear e unir exemplos de mulheres do sertão e do mundo. (Foto: Elisa Elsie).

Aldenôr Gomes, prateiro e designer, apresenta sua segunda coleção “É tempo de Margaridas”, que usa a prata para homenagear e unir exemplos de mulheres do sertão e do mundo. (Foto: Elisa Elsie).

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

Uma coleção de peças de prata que une – por meio de colares, pingentes, anéis, brincos – a história da luta das mulheres, colocando num mesmo conjunto Margarida Alves, a sindicalista morta violentamente na Paraíba e Frida Kahlo, artista plástica que hoje é exaltada como exemplo de luta e empoderamento. Mas não só isso: é com prata também que a Marcha das Margaridas se junta à Marcha Mundial das Mulheres; e que as peças forjadas manualmente também homenageiam o erotismo e o encantamento da mulher sertaneja.

É esse universo que será apresentado na vernissage da exposição “É tempo de Margaridas”, do designer e prateiro Aldenôr Gomes, que acontece dia 6 de outubro próximo, no Espaço Duas, a partir das 19h30.

A inspiração para essa coleção de exaltação ao feminino surgiu naturalmente. Após sua primeira exposição, “Outonianas”, inspirada nas flores do sertão, Aldenôr se viu sem tema para uma segunda coleção. Na época, conversando com sua curadora, a artista visual Mariana do Vale, sobre qual tema explorar, ele recebeu um conselho e aceitou: “Não se preocupe. Você não está mais na academia, não precisa se preparar para uma tese. Vá trabalhando no que te emociona, depois você vê o que fazer com isso”, conta.

E ele apostou nisso. “Eu continuei a trabalhar e me vi fazendo flores. E as flores sempre tinham a imagem de margaridas”. E acrescenta, relembrando como decidiu o tema da segunda exposição: “Quando pensei em margaridas, logo me veio à mente a líder sindical que foi barbaramente assassinada na Paraíba. Ah, vou trabalhar com as margaridas, em homenagem a Margarida Alves”

Daí para começar a ampliar a temática, foi instantâneo. “Quando comecei a trabalhar, eu lembrei que Margarida Alves remetia à Marcha das Margaridas, promovida pelas mulheres rurais que passaram a se organizar para reivindicar seus direitos e participar da luta das mulheres no campo”.

Após isso, conta o artista, ele também começou a pensar em como a mulher do meio rural, do sertão, é sensual e possui um erotismo próprio. Dessa reflexão, já nasceram outras flores, na coleção.

E o jardim de prata de Aldenôr não parou de crescer: “Como eu achei que era muito pouco trabalhar só com as mulheres rurais do sertão da Paraíba eu passei à Marcha das Mulheres, e cheguei à Marcha Mundial das Mulheres, e isso me lembrou Frida Kahlo”, conta.

Ele explica que havia feito uma visita ao México e na elaboração da peças de prata lembrou-se da artista mexicana que hoje é símbolo da luta das mulheres no mundo. E foi dessa forma, com todas essas referências, que ele concluiu e batizou sua segunda coleção, “É tempo de Margaridas”.

Ao todo, o novo conjunto tem 30 peças, entre aneis, colares, brincos, adereços para chapéu, adereço para cachimbo, pingentes, entre outros. Os preços variam de R$ 150,00 a 600,00. Mas não basta ter dinheiro para comprá-los. “As peças estão à venda. Não faço joias, faço peças de prata que tem um significado para mim. Então sempre é algo doloroso pensar em vender. Todas as peças são únicas e exclusivas. Eu preciso criar uma empatia com a pessoa que vai comprar. Eu preciso saber com quem elas vão ficar”, brinca Aldenôr.

Para o futuro, uma terceira coleção, ele ainda não tem nada definido. Explica que precisa encerrar por completo um ciclo para poder iniciar o outro e só vai começar a pensar nessas novas peças após a exposição do dia 6 próximo.

Mas já há no imaginário do artista um apontamento do que pode vir a se tornar uma nova coleção. “Eu me encontro muito envolvido com o mundo da capoeira, a ideia da história dos negros, é possível que saia alguma coisa por aí. Mas é muito embrionário, não posso garantir”, comenta.

PRATEIRO

Aldenôr Gomes trabalha com prata desde 2014. Ele é professor aposentado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte desde 2009, após mais de 40 anos de estudo sobre o meio rural.

Em 2010, ele foi convidado para ser professor visitante no programa de pós-gradução de Ciências Sociais na Universidade de Campina Grande. Em 2014, ele resolveu parar.

“Estava um pouco desencorajado de trabalhar com o rural. Eu tinha toda uma vida de estudo, de pesquisa, de formação trabalhando com o rural. Inclusive, nesse período fui gestor de políticas públicas, ajudei a implantar o programa Fome Zero no Nordeste. Desde o início dos anos 70 eu via sempre a persistência da pobreza, da miséria no campo. Isso me deu uma tristeza tão grande que eu decidi: não vou mais pesquisar o rural. Vou fazer uma outra atividade que me dê um pouco mais de prazer”

Nessa época Aldenôr relembrou os tempos de seminário, quando ainda muito jovem se destacou pela habilidade em moldar metal. “Eu fazia terços”, conta. E, nesse intento, acabou descobrindo em Recife um professor que dava curso de ourivesaria em prata. “Eu fiz o curso de quatro meses. Daí saí e comecei a trabalhar com prata”.

SERVIÇO

Exposição “É tempo de Margaridas”

O quê: vernissage de coleção composta por 30 peças em prata inspiradas em exemplos de luta, resistência e beleza de mulheres do sertão e do mundo

Onde: EspaçoDuas/Duas Estúdio – Rua Praia Diogo Lopes, 2197 – Ponta Negra (referência: próximo à praça do Disco Voador)

Quando: Dia 6 de outubro, sexta-feira, a partir das 19h30

Por que: oportunidade de ver como o artista traduziu para um universo tão particular, que é a ourivesaria em prata, as lutas, as belezas, os desejos e sonhos de mulheres que inspiram outras mulheres a tornar o mundo mais justo e belo.

Entrada gratuita 

CONTATO PARA ENTREVISTAS

Aldenôr Gomes 99992-7130 (Whatsapp)

Duas Estúdio

Elisa Elsie e Mariana do Vale

84 99982.7193 | 84 99664.8789

www.duasestudio.com

facebook.com/duasestudio

@espacoduas

 

Postado às 08h10 DestaqueFotografia Nenhum comentário
Mulheres empoderadas de Parnamirim lançam campanha de apoio a mulheres com câncer.

Mulheres empoderadas de Parnamirim lançam campanha de apoio a mulheres com câncer.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

Outubro Rosa 2017 – As mulheres de Parnamirim – RN ganharam um reforço no alerta de combate ao câncer de mama através da campanha “Lenço Solidário” idealizada pela vereadora Kátia Pires com  ensaio fotográfico é de Eliana Felix.

Abraçaram a causa a primeira Dama Alda Leda, a nossa médica Dra. Socorro Morais, a enfermeira Carol Pires, Brena Lobo, entre outras.

A campanha conta com o apoio Tatiana, moradora de Nova Parnamirim que se encontra na luta contra a doença e com a benção de Deus já é uma vencedora.

Faça parte dessa campanha! Doe lenços e faça a diferença na vida de muitas guerreiras.

Fotos: Eliana Félix.

  • 22050312_1532990933481996_6675760943415729113_n
  • 22096097_1532990630148693_1908400772522581014_o
  • 22104319_1532991000148656_1429568028138513652_o
  • 22104783_1532990770148679_3549610565935638621_o
  • 22140946_1532991063481983_7010144268409722299_n
  • 22141101_1532990626815360_24462483173648058_n
  • 22141158_1532990866815336_5444378718617688932_n
  • 22154143_1532990793482010_4871604544703101828_n
  • 22154418_1532990623482027_2896130453293394556_n
  • 22196223_1532990783482011_8477221988934523596_n
  • 22196358_1532990926815330_1651476831030241068_n
Postado às 07h10 DestaqueFotografia Nenhum comentário
Mulheres com câncer se mostram em exposição durante o Outubro Rosa.

Mulheres com câncer se mostram em exposição durante o Outubro Rosa.

Outubro Rosa:  Seis fotógrafas assinam o Ensaio que revela beleza de mulheres na luta contra câncer de mama.

Outubro Rosa: Seis fotógrafas assinam o Ensaio que revela beleza de mulheres na luta contra câncer de mama.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Grupo Bonitas realiza durante todo o período do movimento Outubro Rosa uma exposição itinerante de fotografias de pacientes oncológicas. As fotos de 23 mulheres revelam histórias de vitória e superação, mesmo que recheadas de dor, desvelando que é possível sim se curar de um câncer e voltar a usufruir de uma vida saudável e tão boa ou até melhor quanto a de antes.

A mostra denominada *MULHERES BONITAS*, apresenta personagens com idade entre 26 e 54 anos que enfrentaram uma das provas mais difíceis para o ser humano, olhar a possibilidade da morte de frente, encarar a realidade e superar as circunstâncias advindas desta experiência, e por isso, elas se transformaram, verdadeiramente, em belas heroínas.

Mulheres Bonitas vai percorrer os shoppings mais populares da cidade com o objetivo de atingir um maior e mais diversificado público e assim desmistificar a doença a respeito da finitude, ao mesmo tempo em que reforçará o alerta a respeito da prevenção do câncer. Todas as modelos da Exposição *Mulheres Bonitas* foram submetidas ou ainda estão em tratamento contra o câncer e, cada uma, a seu modo, atravessaram as etapas da doença desde as primeiras emoções, após o recebimento do diagnóstico, passando pelo tratamento até a cura.

A Exposição Mulheres Bonitas não tem fins lucrativos, todos envolvidos na organização são voluntários, o que inclui a equipe de seis fotografas formada por Ana Cláudia Albuquerque, Eleonora Marques de Siqueira, Katherine Carvalho, Rose Medeiros, Sônia Regina e Verônica Barreto que se uniram em um mutirão para realizar as sessões de fotos expostas neste exemplar e na mostra itinerante.

“Espero que a exposição seja linda e, acima de tudo, que atinja o nossa meta de levar uma mensagem de superação, tenho fé que será uma semente na vida de cada mulher que passar por ela e assim ver diminuir o número de pessoas acometidas com esta doença”, explicou a criadora do Grupo Bonitas, Adilza Holanda.

Programação da Exposição Mulheres Bonitas
– Abertura da campanha Outubro Rosa:
Dia: 05 e 06 de outubro
Local: LIGA CECAN.
Horário: 09:00h

Postado às 23h09 DestaqueFotografia Nenhum comentário
Mostras fotográficas marcam o Setembro Cidadão 2017. (Foto: Kalina Veloso).

Mostras fotográficas marcam o Setembro Cidadão 2017. (Foto: Kalina Veloso).

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Setembro Cidadão, em parceria com a fotógrafa Kalina Veloso, está apresentando este ano três mostras fotográficas, onde o tema central é a Cidadania. Ao todo são mais de 50 fotografias que retratam histórias de cidadania, cultura, além de alertar contra o preconceito e a violência doméstica.

A primeira delas é a Mostra Fotográfica Cidadania e Educação, que acontece na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte e faz uma homenagem a figuras públicas representativas do Estado. São artistas, parlamentares, empresários, esportistas e profissionais em destaque, resgatando histórias de cidadania e cultura. A exposição Cidadania e Educação está instalada na Assembleia Legislativa no período dia 16 a 30 de setembro, com o encerramento em uma sessão solene de propositura da deputada Marcia Maia, onde todas as 17 personalidades fotografadas serão homenageadas.

A segunda é a Mostra Cidadania: Vencendo preconceitos, que será aberta nesta sexta-feira (22), no Partage Norte Shopping. A proposta é presentar uma campanha fotográfica abordando o tema em destaque contra o preconceito, levando a sociedade a refletir sobre as diversas formas de discriminação existentes e com o objetivo de ressaltar a importância que exercer cidadania é respeitar o outro. A exposição fotográfica, com 16 fotos, segue até o dia 30 de setembro.

A última mostra fotográfica é denominada: Eu mereço respeito e estará exposta na OAB/RN, com 18 registros. A exposição fotográfica foi lançada no dia da instalação da Frente Parlamenta de Combate a Violência Doméstica, na Assembleia Legislativa   no dia 01 de agosto. Por se tratar de um casting de mulheres de carreira jurídica, a fotógrafa Kalina Veloso propões ao Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-OAB/RN, encaminhar a exposição para a instituição, como objetivo em valorizar o empenho da causa e divulgar a arte na instituição, além de integrar as ações do Setembro Cidadão. A data agendada para lançamento, será a próxima segunda-feira, dia 25 de setembro, às 17h, com finalização em 29 de setembro.

 

Postado às 07h08 DestaqueFotografia Nenhum comentário
Museu Câmara Cascudo realiza a 2ª Feira da Fotografia.

Museu Câmara Cascudo realiza a 2ª Feira da Fotografia.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Museu Câmara Cascudo realiza a 2ª Feira da Fotografia nos dias 26 e 27 de agosto com destaque para a produção mais pontual de fotografia no estado do RN.

 Durantes os dois dias 14 convidados estarão expondo e vendendo sua produção impressa em diversos formatos – posters, prints, cartões postais, livros e fotozines. O evento encerra o circuito de ações do mês de agosto- o mês da fotografia. O visitante também poderá participar de 3 oficinas, leituras de portfolio e uma palestra com o fotógrafo Numo Rama, atualmente em cartaz no museu com sua exposição “Póstumos – arqueologia do descaso.”

O evento é resultado da parceria entre o Museu Câmara Cascudo e um grupo de fotógrafos potiguares. A nova edição da feira pretende aproximar o público dos fotógrafos de produção mais fértil no estado. As fotos terão preços a partir de 3 reais. Esta é a maior feira de publicações exclusivamente voltada para fotografia do nordeste do Brasil.

Programação

Feira de Fotografia

26/08 Sáb. 14h -21h

27/08 Dom.14h- 18h

Oficinas

Fotografia para sala de aula para professores e coordenadores do ensino público / Pablo Pinheiro

26/08 15h- 17h

Como ganhar dinheiro com fotografia / Alex Gurgel

26/08 19h- 20h

Iluminação Criativa/Duas Estúdio

27/08 15h- 17h

Leituras de Portfolio

Elisa Elsie/Lara Ovídio/Mariana do Vale/Pablo Pinheiro/Paulo Rossi

26/08 17h-18h

27/08 14h- 15.20h

17h-18.20h

Exposição

Póstumos

Arqueologia do descaso

Numo Rama

Conversa com o artista

27/08 18h

Postado às 22h08 DestaqueFotografia Nenhum comentário
Curso Básico de fotografia para iniciantes.

Curso Básico de fotografia para iniciantes.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

Curso IMPERDÍVEL para quem deseja aprender de uma vez por todas a capturar as coisas bacanas do dia a dia! 📸
Como professor, um dos mestres da fotografia Potiguar, @joaomariaalveshotmail
Apoio cultural @institutobemtevi
Bora fotografar?
Curso MÓDULO INICIANTES:
# 04 Aulas (aos sábados) com teoria e prática – possibilidade de aulas teóricas extras, aos domingos.
# Super excursão fotográfica para fechar o curso.
# Certificado para todos participantes.
# Consultoria durante todo o curso (via e-mail ou Grupo do whats)
# Exposição ao final do curso.
#INVESTIMENTO: R$ 300,00
# INÍCIO: 26/08
#INFORMAÇÕES: fotografia.aulas@gmail.com
99959-1769 (whats)

Postado às 23h08 DestaqueFotografia Nenhum comentário
Mostra fotográfica “Chão Potiguar” celebra Dia Mundial da Fotografia em Natal.

Mostra fotográfica “Chão Potiguar” celebra Dia Mundial da Fotografia em Natal.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Dia Mundial da fotografia foi celebrado em Natal com a Exposição Fotográfica Coletiva “Chão Potiguar” realizado na noite deste sábado (19) na Pinacoteca do Estado.

  • IMG_4902
  • IMG_4904
  • IMG_4907
  • IMG_4912
  • IMG_4916
  • IMG_4919
  • IMG_4933
  • IMG_4935
  • IMG_4929
Postado às 12h08 DestaqueFotografia Nenhum comentário
Evandro Teixeira abre Seminário em celebração ao Dia Mundial da Fotografia em Natal.

Evandro Teixeira abre Seminário em celebração ao Dia Mundial da Fotografia em Natal.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

Com o tema: “A fotografia no contexto da História”, um dos maiores fotojornalista brasileiro e reconhecido mundialmente pelo seu trabalho na fotografia, Evandro Teixeira, participou da abertura do Seminário História e Memória da Fotografia Potiguar na noite desta sexta-feira (18), no Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP). A  programação segue até o dia 20 de agosto em celebração ao Dia Mundial da Fotografia com entrada gratuita e aberta a todos os públicos.

Na abertura houve a apresentação Musical do professor de Bandolim e Cavaquinho Alexandre Moreira e Alunos do Instituto de Música Waldemar de Almeida – FJA.

O fotojornalista ministrou  workshop com o tema “A fotografia no contexto da História”  e reuniu  profissionais, alunos e amantes da fotografia. Após a apresentação do documentário sobre sua trajetória na fotografia Evandro Teixeira bateu um papo com os participantes e respondeu há várias perguntas do público e detalhou causos ocorridos no Brasil e no mundo com relação ao seu trabalho.

Com 47 anos de carreira, Evandro já presenciou momentos marcantes da história do Brasil e do mundo. Porém, um ficou marcado como um episódio singular na carreira do baiano. Em dezembro de 1973, ele foi o único a registrar imagens do corpo do poeta chileno, e vencedor de um Prêmio Nobel de Literatura, Pablo Neruda. “há uma necessidade constante de mostrar o que vivi ao longo da história e agradecer por está vivo e compartilhar este momento com vocês de Natal”, disse.

Dos momentos alegres, Evandro recorda das coberturas de algumas Olimpíadas, Copas do Mundo de Futebol e tantos carnavais. Outro momento especial na carreira do fotógrafo foi a passagem por Canudos, registrando as ruínas e a vida no local, o que rendeu o livro “Canudos: 100 anos”.

Além de mostrar e comentar sua trajetória, o fotógrafo responde as perguntas da plateia.  Uma da perguntas foi qual seria a dica para se tornar um grande fotógrafo?   “O olhar, dedicação e pouco de sorte”, respondeu Evandro.

Ao final do workshop agradeceu ao público “Adoro participar destes eventos que além de perpetuar a história valoriza demais a fotografia. É sempre um aprendizado, uma troca. Mostrei um pouco da minha história e aprendi  um pouco de cada um”, afirmou Evandro Teixeira.

Em uma das perguntas da plateia de qual seria a dica para se tornar um grande fotógrafo, Evandro respondeu:  O olhar, dedicação e acima der

O evento reúne nomes em destaque da fotografia brasileira como Evandro Teixeira e feras da fotografia potiguar na década de 70, como Jaeci Emereciano, Manoel Dantas e  Lolita/Joanilo de Paula Rego.

  • IMG_4812
  • IMG_4838
  • IMG_4847
  • IMG_4879
  • IMG_4886
  • IMG_4890
  • IMG_4892
Postado às 09h08 DestaqueFotografia Nenhum comentário
20945487_858215647670579_1384141881_o

A Mostra Alex Regis, Canindé Soares e João Maria Alves e acontece nesta quinta-feira (17), a partir das 19h, no bar mais badalado de Natal, Bardallos.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

A Mostra coletiva “Fotografia em Cena Novas Perspectivas”, reúne em uma mesa de conversa três grandes Fotógrafos do RN. Alex Regis, Canindé Soares e João Maria Alves e acontece nesta quinta-feira (17), a partir das 19h,  no bar mais badalado de Natal, Bardallos.

A Mostra tem o objetivo de troca de experiências com novos fotógrafos em ascensão, que também irão participar dessa prosa fotográfica e expor alguns trabalhos fotográficos valorizando ainda mais os novos fotógrafos do cenário potiguar e comemora o Dia Mundial da Fotografia em Natal.

Como em tudo que nos cerca, a fotografia também vem se renovando a cada dia. Arte ainda jovem se comparada com outras, traz um infinito de possibilidades de registrar momentos únicos em vários contextos, despertando emoções através das recordações e entregando a verdade do que estar sob a luz.

Produção:
Bardallos
ODARA Produtora
Damião Paz – Fotografia

Serviço:

Exposição fotográfica:  “Fotografia em Cena Novas Perspectivas”

Onde: Bardalos

Quando:  17.08.2017

Hora: 19h

Página 3 de 2312345...1020...Última »