Marca Maxmeio

Postado às 16h11 Geral [ 1 ] comentário

Foto: Elias Medeiros - Deslocamento das tropas do EB pela Av. Brasil, foto flagrante. Estava no local na hora certa.

Fotos Scanner: Carlos Gouveia

Capa Antológica, jornal MEIA-HORA, comparando a baratas a retirados dos bandidos da Vila Cruzeiro

O jornal EXPRESSO, Tropa de Elite 2 X Vila Cruzeiro

Rio em chamas, de quem é a culpa?

Sequência do Post anterior……

Por Elias Medeiros

No mesmo dia (18 de novembro) em que o policial estava sendo enterrado (dia do seu aniversário), o BOPE, faz uma incursão na Vila Cruzeiro.  Sabendo não ser uma área fácil, e sob controle da facção Comando Vermelho, que domina todo o complexo do alemão, onde existe cerca de quinhentos mil moradores. O objetivo seria prender os marginais que estavam por trás dos incêndios gratuitos, queimando os carros da população em plena vias expressa da cidade. Imaginava-se que fosse uma incursão de rotina, onde policiais vão, dão tiros, predem alguns gatos pingados e depois largam o lugar, deixando os moradores a mercê da própria sorte.
Ao longo da semana segue-se com medidas paliativas. Até que vem a notícia de que as ordens para incendiar os carros vinha de Marcinho VP, preso em Catanduva, presidio de Segurança Máxima, no estado do Paraná, e que mesmo preso continua chefiando a facção que domina todo o Complexo do Alemão. Segundo a polícia as ordens foram repassadas por Márcia Gama, esposa do traficante.

Diante da resistência dos bandidos e percebendo que o número de marginais era assustador, já que esta favela da Zona Norte havia se tornado um dos redutos de traficantes que fugiram de comunidades com UPPs (Unidade de Polícia Pacificadora). O governo do estado, pede ajuda a Marinha do Brasil, através do Batalhão Logístico dos Fuzileiros Navais e  atendendo a uma determinação de Nelson Jobim, Ministro da Defesa, em menos de seis horas, os Fuzileiros Navais, armados e equipados, estavam na Vila Cruzeiro, dando apoio logístico com os carros blindados (Clanf, M-113 e o Piranha, utilizado atualmente nas ações no Haiti).

A partir desse momento a chapa esquenta para a bandidagem, acostumados a não respeitar a polícia em suas ações, continuam afrontar com seu poderio bélico, até as Forças Armadas. Os carros blindados deram mobilidade as forças de segurança, que atuavam juntas nesse momento, o estado, município e o governo federal, em defesa do direito de ir e vir do cidadão carioca.  Com o avanço, os bandidos fugiram da Vila Cruzeiro para o Complexo do Alemão.

No momento destas ações no dia 25 de novembro de 2010, (25NOV), a Rede GLOBO, estava ao vivo para todo o país e para o mundo, mostrando em detalhes a guerra declarada naquela região. Os outros canais, cobriam por terra e com muitas limitações. Os repórteres de rádio,  imprensa escrita, repórteres fotográficos do Brasil e do Mundo, estavam no local. Foi um espetáculo mirabolante, parecia ser a gravação de um faroeste. A GLOBO mostrava através do GloboCop, as imagens ao vivo da fuga do bandidos por uma estrada descampada em fuga para o complexo do alemão, além das imagens devastadoras que os bandidos deixavam com a queima de veículos.

A sociedade pergunta, porque a polícia através de seus helicópteros não matou aqueles marginais que eram cerca de 300? Assim nos livrava definitivamente daquelas pessoas nefastas.

Naquele momento, eu que estava cobrindo um evento social e preocupado com o que via pela tv, fico sabendo que a GLOBO atinge nada menos do que 40 pontos de audiência no ibope vespertino, algo que em dia comum chega 25 pontos. E daí, entendi o porque da ação da polícia não ter ocorrido, com relação a varrer aqueles bandidos do mapa através de uma rajada de metralhadoras do alto com seus helicópteros.

Não podendo afirmar, creio no bom senso de quem estava no comando da operação, de não autorizar o ataque. Se isso ocorresse, mancharia ainda mais de sangue o Rio de Janeiro, e ao vivo o mundo através das imagens, passaria o atestado da  total incompetência das nossas forças policiais, além da divulgação de mais uma mazela que esta cidade esconde diante de uma beleza exuberante e acolhedora.

Confesso que a minha obstinação, se dá pela conquista no jornalismo, de um pequeno lugar ao sol no colunismo social, além de escrever matérias sobre comportamento. Passei toda a semana sendo instigado pelos amigos que me ajudam, deixando em meu blog seus ricos comentários sobre o que escrevo. Um comentário me trouxe para este universo da violência cotidiana em nossa cidade e em nosso país, confesso que não tive como ficar de fora.

Todo este momento que estamos vivendo, me remete ao filme “Tropa de Elite 2” que assisti num complexo de cinema com 8 salas,  inaugurado no Carrefour de Sulacap, próximo ao Quartel da PM, onde funciona o Centro de Ensino de Policiais Militares. (Propaganda gratuita!).  Sem dúvida, o filme aparece como Centro das discussão sobre o problema da Segurança Pública no Rio de Janeiro. As imagens que vi pela televisão com certeza dará um filme que será contado no possível tropa de leite 3, ou quem sabe já na segunda feira estas imagens estarão nos camelôs do centro da cidade. E mostrarão para o nosso país e para o mundo, através das lentes das televisões, esta guerra injusta entre o poder público e o poder do tráfico, que avança de forma avassaladora conquistando a cada dia mais território.  E como no filme, só nos resta assistir o secretário de Segurança Pública, assumir o papel do Capitão Nascimento, utilizar sua máquina mortífera de guerra contra os traficantes.

Não podemos deixar de exaltar que a ocupação das comunidades é algo importante. Mas, ao mesmo tempo devemos refletir que apenas a ocupação não resolve. O descaso de inúmeros governos nas três esferas, relegaram a população, a própria sorte. Ações sociais urgentes e respeito ao povo, que a em sua maioria são trabalhadores e honestos.

No próximo POST pretendo encerrar este assunto, no momento a guerra apenas começou…

Der sua opinião, deixe seu comentário .

Postado às 16h11 Geral [ 2 ] Comentários

Foto: Agência O DIA - Enterro do Soldado Bruno, dia 18 de novembro de 2010, dia do seu aniversário.

Unificação das polícias

Por Elias Medeiros

A escalada da violência no Rio de Janeiro, se reinicia no dia 17 de novembro de 2010, com um episódio fatal, a morte do soldado Bruno de Castro, com um tiro na cabeça na avenida Presidente Vargas, em pleno Centro do Rio. Segundo a PM o bandido foi preso e algemado, levado por dois policias para o hospital e morreu no caminho.

Detalhe o ladrão foi morto com um tiro na barriga de pistola 380, que segundo a PM, foi disparado pelo policial morto. No local testemunhas falaram que o ladrão não apresentava marca de tiros ou outro ferimento, a não ser marca visível de sangue na perna.

A partir daí começa o calvário dos policiais que ficaram vivos e atuaram nesta ação em defesa da sociedade. A polícia Civil, jogando contra o próprio time, abre um inquérito policial militar para apurar as circunstâncias da morte do ladrão. Os direitos humanos entram no caso e diz que houve execução… Do outro lado, a dor da família do policial honesto, que em serviço morreu defendendo a sociedade. Detalhe não havia nenhum representante dos direitos humanos no enterro do ex policial.

No dia seguinte dia 18 de novembro 2010, um PM morreu e outro foi preso na madrugada, após confronto com colegas  na Ilha do Governador. Segundo a polícia, os dois policiais do 22º BPM (Maré) teriam sido flagrados por colegas do 17º BPM (Ilha do Governador) em dois carros, sendo um deles roubado. Houve perseguição pelas polícias civis e militar e, na troca de tiros, o policial que estava ao volante do carro roubado foi morto. Ao se aproximar do veículo, os policiais do 17º BPM viram que tinham matado um colega, que estava fardado.

Logo em seguida a estes fatos o Comandante da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte, veio a público pela TV e pede desculpas a população do Rio de Janeiro, pela conduta errada do policial preso e analteceu o policial morto, servindo de conforto para família.

Estes fatos nos levam a crer que precisamos da unificação das polícias, se não for no papel, pelo menos que seja no terreno do entendimento e na forma de trabalhar em benefício da sociedade, não importando de quem é o filho, se é municipal, estadual ou federal.

Em síntese, polícia para quem precisa…

A violência continua, leia o próximo POST…….

Der sua opinião, deixe um comentário

Postado às 15h11 Geral [ 15 ] Comentários

Foto: Divulgação - CD "Multishow ao Vivo"

Foto: Divulgação, Vanessa da Mata retrata este tema em sua canção: "Fugiu com a Novela"

Novela é coisa de homem!

Por Elias Medeiros

Muitos já admitem, que assistir novelas é coisa de homem. O que eles não conseguem e desvincular as gozações de outros homens quando descobrem o gosto pelas novelas.

O hábito começou quando a TV ainda era preto e branco. Elas estão nos assuntos cotidianos dentro de casa e quando eles ou elas não conseguem assistir, ler o resumo semanal publicado nos principais jornais ou na internet.

Baseado neste cotidiano e a cada adesão masculina, as telenovelas, perde-se o sentido de dizer que novela é algo exclusivo da mulher.

Dias desse à bordo de um ônibus, mais precisamente da linha 378 – Marechal Hermes, que é literalmente uma sardinha, me deparei com a senhora, Maria do Carmo, que relatou ter perdido o companheiro para novela das oito.

Logo pensei, que bacana, foi um rompimento em horário nobre! Quis saber um pouco mais: Segundo Do Carmo, o companheiro, sempre foi inveterado por novelas, em sua casa o horário nobre sempre foi sagrado, silêncio total, conversa e beijinhos apenas nos intervalos. Fato inusitado é que o companheiro abdicou de assistir futebol tão comum aos homens, para assistir as novelas.

Admitimos que a realidade dura do dia-a-dia acaba levando o cidadão para frente da tv, e que as novelas tratam de assuntos sérios do nosso cotidiano, mais também tem humor e  entretenimento. E no balanço do ônibus descobri que Do Carmo, havia perdido o companheiro no sentido literal e não que ele tenha saído de casa.

A cantora Vanessa da Mata, que é voz certa das trilhas sonoras das novelas globais, em seu álbum “Multishow ao Vivo”, entra neste universo através de uma canção, cujo título é, “Fugiu com a novela”, que retrata a situação de um homem que perdeu o amor para novela das oito, a letra diz assim: “Eu perdi o meu amor para uma novela das oito, Desde essa desilusão eu me desiludi…, E aquela atenção que antes eu ganhava, Se repartiu ao meio…, Quando fomos morar juntos ela me adorava Cozinhava, passava, me alisava, Eu contava piada ela gargalhava…, A vida era boa ela não reclamava, Agora vive longe, não sei mais nada, Fugiu da nossa casa com a televisão….

A televisão brasileira está em constante competição. A Globo ainda é a campeã de audiência, mas o SBT e a Record investem pesado em teledramaturgia e já possuem números expressivos nas pesquisas de audiência.

Com a guerra de audiência, o público que é apaixonado pelas novelas só tem a ganhar com produções cada vez melhores e criativas. É importante destacar que as novelas desempenham um importante papel social ao transmitirem questões sérias como preconceito, drogas, enfim questões que invadem diariamente a casa de milhões de brasileiros e estes assuntos são de interesse tanto do homem como da mulher.

Será que por este motivo, assistir e se emocionar com as tramas  na TV,  é exclusividade das mulheres?

Der sua opinião, deixe um comentário

12 nov 2010

De quem é a conta?.

Postado às 15h11 Geral [ 17 ] Comentários
 

Essa turminha do Curso de Graduação de Jornalismo da PUC RIO não concorda com a mulher pagar a conta.

Essa Galera está podendo, detalhe neste dia a conta foi dividida! Salve! Salve!

De quem é a Conta? O amor é lindo, o que mata é a divisão das contas. Será que existe alguém que tenha vivenciado tal situação?  Na maioria das vezes o amor confunde-se com a necessidade de se transportar para as mãos masculinas, uma responsabilidade que deveria ser compartilhada.. Este tipo de amor deveria ser rotulado como “preciso de você”.             A conexão entre duas pessoas não pode se basear em preencher as carências um do outro.   A relação não pode vir de um vazio, porque depender demais do outro, suga  energia   e custa caro.

Ter uma namorada que raramente abra a carteira para pagar ou dividir a conta, gostar de festas e badalações, além de manter a postura de patrocinar tudo o tempo que ficarem juntos , pode ser um erro clássico. As mulheres em seu discurso, utilizam a célebre frase: “Homem gentil, sempre paga a conta”, baseado nessa pérola, os homens  continuam pagando a conta sem recentimento.

O poeta Vínicius de Moraes em seu “Soneto da Fidelidade”,  ressalta o Amor  e declara que ele seja eterno enquanto dure. Se após uma longa temporada houver o fim do namoro, a garota que depositava o dinheiro na  poupança e jamais abriu a carteira, comprará  um carro  e seu parceiro ficará literalmente na pista.

Moral da história: Certamentente nenhuma relação baseado na dependência pode ser saudável, cada pessoa precisa assumir responsabilidade por ser feliz, sem depender do outro e nem sempre ser gentil, significa pagar a conta.

Der sua opinião, deixe um comentário….

Postado às 11h11 Geral [ 3 ] Comentários

Jornal Nacional (Foto montagem). William na bancada em Brasília e Fátima no Rio. Segundo o Portal R7, tremenda calça justa!

Guerra de Audiência – A TV Record sai na frente e mostra a primeira entrevista ao vivo com Dilma Russeff. Com duração de 15 minutos,  duas jornalista Ana Paula Padrão (ex-TV Globo) e Adriana Araújo, conduziram a entrevista ao vivo.  Logo no início, a presidente elogiou o fato da Record ter escalado duas mulheres. “Isso é um sinal que há espaço para as mulheres em todos os lugares da sociedade, disse a petista”. Para a âncora do Jornal da Record, Ana Paula Padrão, Dilma está segura e conseguiu fazer tranquilamente a transição entre ministra, candidata e presidente.

Na TV Globo “Jornal Nacional”, a entrevista também foi ao vivo e durou cerca de 30 minutos. William Bonner e Fátima Bernardes, conduziram a entrevista de forma impecável.

Segundo o Portal R7 da Record, a  entrevista de Dilma Rousseff ao Jornal Nacional (Globo), William Bonner falava tanto e de maneira tão agressiva que não deixava a candidata falar. Ele irritou a própria mulher, que lhe deu um cutucão em rede nacional de televisão. Bronca da patroa todo mundo leva, mas com boa parte do Brasil assistindo fica bem mais feio. Deve ter dormido no sofá.

A presidente eleita lembrou do processo de escolha de seu nome para suceder o presidente Lula. “Eu nunca imaginei ser presidente da República. Eu sempre fui uma servidora pública.” Ela afirmou que começou a se convencer “aos poucos” de que deveria disputar as eleições, quando o presidente Lula passou a cogitar o nome dela para a suecessão dele.

Segundo ela, ser presidente do Brasil “é um sonho que cada brasileiro esconde lá no fundo da alma”.  “É a maior realização que uma pessoa pode ter no seu próprio país, porque é o momento em que você pode provar que vai de fato dar uma contribuição para os milhões de brasileiros e brasileiras que compartilham comigo essa aventura histórica.”

Com relação a liberdade de imprensa, ela disse: Mais vale o barrulho da imprensa, do que o silêncio da ditadura.

Em 2002, o presidente Lula, assim que foi eleito deu a primeira entrevista para a TV Globo, na bancada do Jornal Nacional, nos estúdios da emissora em São Paulo. Em 2006, quando foi reeleito, o presidente Lula também falou primeiro à Globo, direto do Palácio do Planalto.

Este fato é bastante relevante para o jornalismo brasileiro. Desde o fim do regime militar, nenhum presidente democraticamente eleito tinha dado uma entrevista para outra emissora que não fosse a Globo. A Record, desta vez, saiu na frente.

Deixe seu comentário sobre este assunto e outros temas no meu Blog.

Grato!!



Postado às 02h11 Geral [ 2 ] Comentários

Festa da Democracia – Em seu primeiro discurso a presidenta reafirmou seu compromisso com a igualdade de oportunidades para as mulheres, a liberdade de imprensa,  democracia em todos os níveis e a erradição da miséria.  “Serei presidenta de todos os brasileiros e brasileiras, respeitando as diferenças de crença e orientação política, disse Dilma Russeff.”

Sim a Mulher Pode! ” gostaria que pais e mães de meninas olhassem hoje nos olhas delas e dissessem: “Sim, a mulher pode ser presidente do Brasil.”

Numa abstenção de mais de 29 milhões de eleitores, sinaliza claramente o quanto será importante uma reforma política em seu governo.  A falta de interesse pela eleição, deixa claro o caminho natural que a sociedade gostaria de tomar, onde o voto em nosso país fosse livre e não obrigatório.

O dia 1° de janeiro de 2011 será especial para o Brasil. É quando vai tomar posse a primeira mulher eleita Presidenta da nossa História. Dilma Russeff (PT) receberá a faixa presidencial de seu mentor político, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também vitorioso por ter feito sua sucessora.

Muito me orgulha em saber que a vitória de Dilma acontece quase 80 anos depois que as  mulheres conseguiram o direito de ir às urnas. A primeira autorização para o voto veio em 1932 através do Código Eleitoral Provisório, sendo que até 1946 o voto feminino não era obrigatório, e que antes dessas conquistas o Estado do Rio Grande do Norte foi o primeiro a permitir que mulheres votassem e se candidatassem, em 1927. Os eleitores do estado escolheram Alzira Soriano como a primeira prefeita do país, na cidade de Lajes, em 1928.

01 out 2010

Elias, o Jornalista..

Postado às 18h10 Geral Nenhum comentário

Sou Elias Medeiros, Jornalista e repórter fotográfico.

Este sou eu em mais um de meus trabalhos fotográficos.

Página 10 de 10« Primeira...678910