Marca Maxmeio

Postado às 18h10 GeralPlantão Nenhum comentário
DEICOR prende quadrilha que explodia e arrombava caixas eletrônicos.

DEICOR prende quadrilha que explodia e arrombava caixas eletrônicos.

Redação/Portal de Notícias e Fotojornalismo/eliasjornalista.com

Os policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR), sob o comando da delegada Sheila Freitas, deflagraram na manhã desta quinta-feira (29) a Operação “Explosion”, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada em arrombamentos e explosões de caixas eletrônicos.

Após oito meses de investigações foram cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão nas cidades de Natal e Parnamirim, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Zona Sul, que resultaram na prisão de sete pessoas. De acordo com a delegada a organização era complexa, com hierarquia bem definida, e agia preferencialmente no estado do Rio Grande do Norte, contando também com articulação em outros estados da região nordeste.

Foram presos: Odelson da Silva Lira, de 24 anos, considerado o líder do grupo; Diego Felipe Silva de Albuquerque, de 26 anos; Emerson Faustino Barreto, de 25 anos, conhecido como “Mercinho”; Erivan Araújo Lima, de 49 anos, natural da Paraíba; Jonilson Dias Gomes, de 28 anos; Gilvan da Costa Silva, 52 anos; e Bruno da Silva Oliveira, de 28 anos, natural de São Paulo, responsável pelo fornecimento de drogas, armamento e munição a organização.

Além das prisões, os policiais apreenderam a quantia de mais de 56 mil reais; oito armas, sendo quatro revolveres calibre 38, uma pistola calibre 380, e três espingardas calibre 12; cinco bananas de dinamite prontas para uso; dois rádios transmissores; cinco celulares; cinco coletes, dos quais um possuía identificação da Polícia Militar e outro com identificação da Polícia Rodoviária Federal; três tabletes de maconha; além de quatro carros e uma moto.

O trabalho investigativo da DEICOR identificou que o grupo realizava além das explosões de caixas eletrônicos e arrombamentos utilizando maçaricos, a limpeza de cédulas manchadas retiradas dos caixas e que era através da comercialização de drogas, armamentos e munições que a organização “mascarava” os lucros provenientes dos arrombamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *