Marca Maxmeio

Postado às 13h09 DestaqueFotografia Nenhum comentário

Contar histórias reais em fotografias. Este é o objetivo principal do www.jjornalismo.com.br.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O site faz parte do projeto que alia fotojornalismo clássico com as novas ferramentas de comunicação produzido pelo jornalista John Nascimento.

“Precisava colocar o fotojornalismo em prática e tinha que utilizar a internet pra isso. Então estudei bastante a internet para entender e encaixar um projeto que desse vazão à produção jornalistica independente”, afirma o idealizador do projeto, John Nascimento.

 

Assim surgiu a plataforma que hospeda e disponibiliza para download gratuito matérias fotojornalistas organizadas em ebooks, que podem ser compartilhados livremente em todas as redes sociais.

Para financiar a produção das pautas o jornalista conta com sites de financiamento coletivo como o Vakinha e Catarse,  onde o leitor pode colaborar a quantia que desejar.

“A ideia é ser como máquinas de jornal antigas, em que se colocavam moedas e retirava o jornal. A diferença agora é que a moeda virou cartão de crédito e a caixa é o seu próprio celular”, explica John.

 

#SomosTodosCaminhoneiros 

 

O primeiro ebook já está disponível para download. #SomosTodosCaminhoneiros é o título da matéria, que faz alusão ao movimento criado na internet durante a a última grande greve dos caminhoneiros em maio deste ano.

 

As fotos foram produzidas durante os 10 dias em que o movimento montou barricada na BR-101, município de Parnamirim, Rio Grande do Norte. A pauta era mostrar quem são as pessoas que fizeram parte do movimento.

 

O jornalista conta que já tinha a ideia do projeto. “Mas estava parada. Quando surgiu a greve percebi que seria uma ótima pauta para o primeiro ebook. Então passei a visitar o local e interagir e fotografar as pessoas de dentro do movimento, onde a entrada da imprensa era vetada”.

 

Além dos caminhoneiros o jornalista quer produzir matérias pescadores, artistas e comunidades tradicionais do nordeste brasileiro.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + seis =