Marca Maxmeio

Postado às 11h04 CulturaDestaque Nenhum comentário
Considerada um marco da televisão brasileira, comunicadora revelou talentos como Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Durval Lelys, Margareth Menezes, Cid Guerreiro, Luiz Caldas, entre outros artistas.

Considerada um marco da televisão brasileira, comunicadora revelou talentos como Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Durval Lelys, Margareth Menezes, Cid Guerreiro, Luiz Caldas, entre outros artistas.

Redação/Portal de Notícias e fotojornalismo/eliasjornalista.com

Salvador (BA)

Após passar por diversos programas no rádio e na televisão baiana, Tia Arilma, que ficou conhecida por idealizar e apresentar os programas infantis O Parquinho e O Recreio, volta a soltar a voz.  Apresentadora adiantou em entrevista   exclusiva à Revista Alvo dos Famosos, que finalizou um EP, intitulado “Te Agradeço“, com oito faixas musicais no estilo Gospel, “como uma forma de agradecer a Deus pelas graças alcançadas”.

Dirigido por Beto Ramos, irmão da cantora Thyna Ramos, que assina a maioria das canções do disco, o trabalho traz ” músicas maravilhosas, verdadeiras orações. Vai ser um reencontro meu com as pessoas que gostavam de mim”, definiu a comunicadora, que pretende lançar o trabalho nas igrejas pelo Brasil. Com o apoio da Ótica Diniz, a apresentadora também fará uma tarde de autógrafos, dia 19 de abril, às 17h, no Shopping Piedade.

Tia Arilma ficou imortalizada na memória dos baianos com o jargão “Um beijinho açucarado meladinho”. Percussora de programas infantis copiados por outras apresentadoras, a comunicadora fez a alegria da garotada nos anos 1980 com O Parquinho show de criança, exibido pela TV Itapoan, e pouco tempo depois, com o Recreio, na TV Aratu, na época, afiliada da TV Globo.

Pioneirismo

Com muito carisma, o nome artístico veio a partir do contato com as crianças nos programas. “Meu nome de batismo é Arilma mesmo, mas quando eu ia conversar com as crianças, eu falava tia Arilma. Uma forma carinhosa”, explicou a comunicadora.

Segundo Tia Arilma, mesmo sem muitos recursos, os programas eram sucesso de audiência. “Ter um espaço para as crianças com música e brincadeiras lúdicas, deu muito certo. Não foi à toa que o formato foi copiado por várias apresentadoras infantis logo depois”, revelou.

O jornalista Osmar Martins (Marrom) lembra o sucesso. “Antes de nomes hoje famosos como Xuxa e Angélica, só para citar os mais lembrados, Tia Arilma já era uma estrela. Ou melhor uma grande estrela. As crianças a idolatravam, os pais a respeitavam e Tia Arilma era um fenômeno nas telas das TVs baianas. Até hoje é lembrada por quem tem mais de 40, 50 anos. Viva Tia Arilma!”, reverenciou Marrom. O Recreio chegou a ser exibido de segunda a sábado, no horário da sessão da tarde, considerado horário nobre naquela época.

Participante dos dois programas, Thyna Ramos fez questão de reconhecer o espaço que teve e a influência da apresentadora em sua carreira. “Todos esses programas abriram portas para o meu reconhecimento nacional. Portas se abriram e eu vim a galgar muitos prêmios como cantora. E claro, que a Tia Arilma foi a grande referência não só na minha carreira artística como na de vários artistas baianos”, lembrou a cantora e compositora.

Início desafiador

Mas o caminho para a apresentadora não foi fácil. O formato inovador trouxe muitos desafios, e o principal deles era como fazer para colocar o programa no ar. A própria apresentadora precisou ir atrás de patrocínio. “Os patrocinadores acreditaram na minha palavra, porque não tinha nem número de Ibope. Consegui vender o programa sem as pessoas conhecerem a formatação real, elas não tinham nenhum visual do que poderia ser. E conseguimos”, contou Tia Arilma, cheia de orgulho.

Questionada sobre os programas infantis atuais da televisão brasileira, Tia Arilma foi enfática. “Não temos mais programas infantis”. Ela explica que isso é ruim porque a criança tem que aprender o lúdico, tem que sonhar, tem que inventar. “Eu lembro que pegávamos vasilhas de margarina e dávamos para elas usarem a imaginação. Era muito bacana”, contou.

O diretor Carlos Borges, com quem a comunicadora trabalhou por quase dez anos, lembrou que a apresentadora e seus programas forma um marco na televisão baiana. “Tive o privilégio de trabalhar por quase uma década com a Tia Arilma que era sucesso de audiência nos inúmeros programas que apresentou. De 1981 a 1986, bateu vários recordes de Ibope. A televisão da Bahia deve muito a ela”, ressaltou Borges.

Revelações na música

Outros talentos também foram revelados nos palcos do Parquinho e do Recreio. Mara Maravilha, Geisa e Patrícia Fofolete viraram apresentadoras de programa de televisão. Tia Arilma também deu oportunidade de trabalho na TV para as irmãs gêmeas Célia Felicidade e Celisa Felicidade. Na música, também passaram grandes artistas que na época ainda não eram tão conhecidos do público, a exemplo de Cid Guerreio,  Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Luiz Caldas, Margareth Menezes, Sarajane, Durval Lelys, entre outros.

Tia Arilma lembrou da época em que Ivete ia ao programa dela. “Ivete é um doce de menina. Tem tempo que não a vejo, mas sei que ela me citou no livro dela. Ivete foi ao meu programa ainda adolescente, cantou Menudo. Ela era uma espoletinha”, recordou a apresentadora, que revelou o desejo de querer dividir o microfone com Ivete algum dia.

O EP

Com um repertório Gospel, Tia Arilma encarou os estúdios pela primeira vez depois que saiu dos holofotes da TV. “Eu poderia estar gravando outro tipo de música, mas essa é a minha oportunidade de agradecer tudo o que conquistei”, destacou.

O trabalho é independente e não conta com   participações especiais. “Tem (participação) de Deus. A luz de Jesus está lá. Mas tem o apoio de pessoas importantes dentro do gospel como Thyna Ramos, que cedeu quase todas as músicas.

 Minas com Bahia

Baiana de coração, Tia Arilma é uma típica mineira da cidade de Patos do Abaeté, interior de Minas Gerais. De família humilde e fala mansa, foi conquistando seu espaço por onde passava.

“Vim da camada mais pobre da sociedade. Para estudar, era de pé no chão. A gente só alcança isso com a fé. Hoje tenho minha vida, minha felicidade. Cheguei aonde eu queria. Sou uma pessoa que posso dizer, com a graça de Deus, sou feliz”, afirmou. Depois de uma temporada em São Paulo, veio para Salvador no início da década de 1980.

Sempre envolvida com os dois estados, Tia Arilma decidiu voltar para casa em Minas Gerais, por livre e espontânea vontade, mas sempre visita a Bahia. No dia 12 de outubro, Dia das Crianças e seu aniversário, Tia Arilma é quem pretende dar um presente aos baianos. A comunicadora sonha em juntar diversos artistas que passaram pelos seus programas em um show no Parque da Cidade, em Salvador, como uma forma de agradecer ao povo da Bahia, que abraçou e deu reconhecimento ao seu trabalho. Vamos torcer para que o evento aconteça.

Por Maíra Côrtes

Produção: Sílvia Fran

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *