Marca Maxmeio

Postado às 20h01 GeralPlantão Nenhum comentário
Segundo a delegada Taís Aires, da DHPP, ambos confessaram o crime. Maria Karoline Álvares de Melo era estudante de turismo na UFRN..

Segundo a delegada Taís Aires, da DHPP, ambos confessaram o crime.
Maria Karoline Álvares de Melo era estudante de turismo na UFRN..

Redação/Portal de Notícias e Fotojornalismo/eliasjornalista.com

Os dois homens suspeitos de terem participado diretamente da morte da universitária Maria Karoline Álvares de Melo, assassinada com um tiro no peito durante um assalto na tarde desta quarta-feira (20) na Zona Norte de Natal, foram presos nesta madrugada.

Em uma entrevista coletiva realizada na manhã de  hoje  na Academia de Polícia Civil (ACADEPOL) que  contou com as presenças dos delegados  Júlio Antônio Rocha, Diretor de Polícia de Natal e Grande  Natal (DPGRAN),  Ben-hur Medeiros, Diretor da Divisão de Homicídios e  Proteção a Pessoa (DHPP), Tais  Aires (DHPP), Marcos Vinicius dos Santos  (DHPP)  e  do delegado Ernani Leite  do  Plantão Zona Norte, foi  detalhada a ação da Polícia Civil  que culminou  com a prisão de dois suspeitos  do latrocínio ocorrido no  final  da tarde de ontem na Zona Norte de Natal, que vitimou a estudante universitária Maria Karolyne Álvares de Melo de 19 anos.

O delegado  Ben-hur Medeiros  agradeceu o empenho dos policiais  civis da   primeira equipe da delegacia de plantão da Zona Norte, dos policiais da 12ª  delegacia de polícia  e a Polícia Militar pelo apoio dado para a realização das investigações e prisões dos suspeitos do latrocínio.

A Delegada Tais Aires disse durante a coletiva que policia checou cinco denúncias recebidas e uma delas levou a casa onde estava Claudio Moura da Fonseca, 30 anos, ele confessou o crime e disse que tinha saído com Renato Cesar Dias, 33 anos, para beber em uma lagoa no município de Extremoz, na volta quando estavam na Avenida Itapetinga visualizaram as duas moças e decidiram fazer o assalto.

“Estava na garupa da moto e quando vi as duas moças, desci e anunciei o assalto, uma delas tomou um susto e levantou o braço quando fui pegar o fone de ouvido que estava com ela, sem que eu percebesse a arma disparou” disse Claudio.

A arma do crime (revolver, calibre 38), ele diz ter jogado no rio potengi, e que usava a arma porque tinha medo que as pessoas que ele assaltou no ano de 2015, na Praia do Rio do Fogo viessem vingar-se dele.

Cláudio estava em liberdade e a disposição da justiça por ter sido preso em flagrante pelo assalto realizado no ano passado.

Depois da prisão de Claudio, a policia chegou até a pessoa de Renato, que confessou ser o piloto da moto e disse ter sido preso no Estado de São Paulo por assalto.

 Renato confirma em parte a história contada por Claudio, mas diz que não sabia que ele iria fazer um assalto.

Os dois foram flagranteados por latrocínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *