Marca Maxmeio

Postado às 10h09 DestaqueEsporte Nenhum comentário

Competição acontece em Natal, com quatro Estados nordestinos representados. (Foto: Liziane Virgílio).

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

Um time que mescla experiência e juventude, com atletas com anos de carreiras e convocações para a seleção brasileira, e outros que começaram no esporte há pouco tempo. É com ele que a Sadef (Sociedade Amigos do Deficiente Físico) vai lutar para recuperar o título da Copa Nordeste de Futebol de Amputados, que chega à sua terceira edição. A competição acontece sexta e sábado, no campo de society em Brasília Teimosa, na capital.

Além da Sadef, mais três times da Bahia, Ceará e Piauí vão participar da disputa. “Temos seis clubes de futebol de amputados no Nordeste, mas por falta de apoio, nem todos poderão vir a Natal”, diz Ronnie Peterson, coordenador do futebol de amputados da Sadef que criou o torneio em 2016, justamente para movimentar o esporte pela região. A Associação Brasileira de Amputados tem um calendário de competições, mas as equipes nordestinas tem muita dificuldade em participar por falta de incentivo.

Os potiguares da Sadef foram campeões na primeira edição. Mas no ano passado, em Fortaleza, o título ficou por lá mesmo, com a equipe da Adesul, que vem a Natal em busca do bicampeonato. Mas os anfitriões apostam na preparação física que foi intensificada em 2018. O time da Sadef é treinado por Demétrius Marques, ex-goleiro de futsal que já jogou nos três principais clubes da capital: ABC, Alecrim e América.

As quatro equipes vão disputar a primeira fase da Copa NE em grupo único, pontos corridos, com todas as equipes se enfrentando. Os dois primeiros se classificam pra grande final, e os outros dois disputam o bronze. Os jogos são todos gratuitos.

FUTEBOL DE AMPUTADOS

Os jogos são disputados em campo society, com dimensões mínimas de 60m x 38m. A modalidade conta com poucas regras diferentes das praticadas no futebol society. Cada equipe tem 7 jogadores. O goleiro é amputado ou deficiente de um dos braços e os atletas de linha são amputados ou deficientes de uma das pernas.

Os atletas não podem tocar na bola de forma intencional com a perna ou braço amputado, assim com a muleta na bola. No futebol de amputados, o lateral é cobrado com o pé. As partidas tem dois tempos de 25 minutos cada, com intervalo de 10 minutos. E além de não ter limite para substituições, os jogadores substituídos podem voltar ao jogo sem necessidade de parar o tempo, com a exceção do goleiro, que precisa que o cronômetro seja parado para ser substituído.

III COPA NORDESTE FUTEBOL DE AMPUTADOS
Sexta e Sábado
Campo de Society de Brasília Teimosa
Entrada gratuita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + dois =