Marca Maxmeio

Postado às 20h06 DestaqueMarinha Nenhum comentário

Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte e Iate Clube de Natal realizam regata alusiva aos 153 anos da Batalha Naval do Riachuelo.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

A Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte (CPRN), em parceria com o Iate Clube de Natal, realizou neste domingo (10) uma regata alusiva aos 153 anos da Batalha Naval do Riachuelo, Data Magna da Marinha do Brasil celebrada no dia 11 de junho.

As competições aconteceram no Rio Potengi e tiveram a participação de um total de 22 embarcações. Durante os trajetos, os competidores foram acompanhados por equipes de Inspeção Naval da CPRN, que garantiram as condições de segurança do tráfego aquaviário.

Premiação.

Na classe Oceano, o primeiro colocado foi o veleiro Dianteiro, enquanto que na classe Aberta venceu o veleiro Jaú. Na ocasião, também foram premiados os vencedores nas classes Laser, Dingue e Snipe.

Içamento das bandeiras do Brasil, do Rio Grande do Norte e do Iate Clube pelo Vice-Almirante Joése de Andrade Bandeira LEANDRO Comandante do 3º Distrito Naval .

A programação alusiva ao aniversário da Batalha Naval do Riachuelo continua nesta segunda-feira (11), quando será realizada uma cerimônia cívico-militar na Base Naval de Natal, no bairro do Alecrim, na Zona Leste de Natal.

Postado às 07h06 DestaqueMarinha Nenhum comentário

Marinha do Brasil comemora 153º aniversário da Batalha Naval do Riachuelo com programação especial em Natal e Areia Branca.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

As Organizações Militares (OM) do Comando do 3º Distrito Naval (Com3ºDN) estão com uma programação especial para comemorar o 153º aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, Data Magna da Marinha do Brasil celebrada no dia 11 de junho.

No Rio Grande do Norte, a programação inclui atividades educacionais, esportivas e recreativas, tendo como evento principal a Cerimônia Cívico-Militar alusiva aos 153 anos da Batalha Naval do Riachuelo, que será realizada na próxima segunda-feira (11), às 10h, na Base Naval de Natal.

Na capital potiguar, as OM do Com3ºDN realizam, de sexta-feira (8) até domingo (10), uma exposição sobre a Marinha do Brasil no Shopping Cidade Jardim, na Zona Sul. No sábado (9), a Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte coordena uma regata no Iate Clube de Natal. Já no domingo, o Farol Natal, no bairro de Mãe Luíza, abre as portas, das 14h às 17h, com uma exposição sobre sinalização náutica.

Enquanto isso, na cidade de Areia Branca, na região Oeste do Estado, a Agência da Capitania dos Portos (AgABranca) promoverá no sábado, das 9h30 às 13h, uma Ação Cívico Social em parceria com a Prefeitura de Areia Branca, além de exposição e oficinas de nós. No mesmo dia, a AgABranca coordena uma corrida de caiaques no Rio Mossoró às 13h30.

Programação em Natal

8 a 10 de junho: Exposição no Shopping Cidade Jardim

10 de junho: Regata no Iate Clube de Natal

10 de junho: Exposição de material de sinalização náutica no Farol Natal, no bairro de Mãe Luíza

11 de junho: Cerimônia Cívico-Militar alusiva aos 153 Anos da Batalha Naval do Riachuelo

Programação em Areia Branca

9 de junho: Ação Cívico Social, exposição e oficina de nós em Areia Branca; e corrida de caiaques no Rio Mossoró.

 

Postado às 23h06 DestaqueMarinha Nenhum comentário

GptFNNa

Despedida dos militares transferidos para a Reserva Remunerada da Marinha.

A entrega do Título de Amigo do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal.

Promoção de militares.

Entrega de Medalhas.

O jornalista e repórter fotográfico Elias Medeiros  foi homenageado pelo GptFNNa.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal realizou na manhã desta sexta-feira (8), cerimônia alusiva ao 153º aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, despedida dos militares transferidos para a reserva remunerada da Marinha, troca de platina e divisas dos militares promovidos, imposição de medalha militar e entrega de título de amigo do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal. A cerimônia foi presidida pelo Capitão de Fragata (FN)  Luiz Otávio, Comandante do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal e contou com a presença dos familiares dos agraciados.

BONO ESPECIAL
GERAL
BRASÍLIA, DF.
Em 11 de junho de 2018.
ORDEM DO DIA Nº 2/2018
Assunto: 153º Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo – Data Magna da Marinha
Há exatos 153 anos, marinheiros brasileiros foram instados ao árduo sacrifício do
combate, uma vez que a soberania da Pátria encontrava-se ameaçada. Na ocasião, a
Marinha Imperial, vocacionada a atuar em águas azuis de nosso imenso litoral, viu-se
desafiada a desdobramento em bacia fluvial, de difícil navegação, para a qual os
meios navais de maior porte se mostravam inadequados.
Ao alvorecer de onze de junho de 1865, a nossa Esquadra, fundeada no Rio Paraguai nas
proximidades de Corrientes, avistou os navios inimigos que, descendo o Rio, foram
posicionar-se próximo à foz do Arroio Riachuelo, em cujas barrancas também havia
artilharia e tropas adversárias. A força naval brasileira suspendeu em perseguição ao
inimigo, dando início ao feroz combate, que, em sua primeira fase, foi-nos
desfavorável: a Canhoneira “Parnaíba”, em encarniçada luta após ser abordada, sofreu
muitas avarias e perdeu grande parte de sua tripulação; a Corveta “Jequitinhonha”,
presa a um banco de areia, permaneceu sob intenso fogo das baterias de terra; e a
Corveta “Belmonte”, tomada por incêndio e com 37 rombos em seu casco, encalhou para
não afundar.
Em tais circunstâncias, adquiriram grande protagonismo os atributos de valor e
coragem dos combatentes dos dois lados em conflito, jovens heróis que, como
Greenhalgh e Marcílio Dias, sacrificaram suas vidas naquele embate cruento. Virtudes
de patriotismo, superação, comprometimento e abnegação tornaram-se os atores
principais na batalha cuja vitória, fruto da competência e arrebatamento do Almirante
Barroso, mostrou-se decisiva para os rumos que a guerra veio a tomar.
No decorrer do combate, Barroso, embarcado na legendária Fragata “Amazonas”, içou
sucessivos sinais que guiaram e insuflaram os comandantes dos navios e suas
tripulações. Hoje, a memória desses sinais nos incute força e inspiração para fazer
frente aos difíceis desafios que a Nação enfrenta.
O primeiro – “Preparar para o combate!” – disseminado instantes antes do eclodir da
sangrenta refrega, serve agora para alertar-nos da importância da manutenção de
adequado Poder Naval desde os tempos de paz, pois, quando formos chamados à ação, não
haverá tempo para preparação ou espaço para a improvisação. No contexto atual de
ausência de ameaças percebidas, não podemos nos deixar seduzir pela crença na
perenidade da paz. Lembremo-nos que, quando a fatalidade da guerra nos atingir, os
mesmos que hoje relegam a segurança externa e criticam os gastos militares serão
implacáveis na cobrança de êxitos e no julgamento de eventuais fracassos decorrentes
da falta de aprestamento.
O segundo – “O Brasil espera que cada um cumpra o seu dever!” – traduz o compromisso
de cada brasileiro de ontem, de hoje e das gerações futuras com um País capaz de
– 1 de 2 –
atender as legítimas aspirações de seu povo. Somente uma conduta irrepreensível,
refletida nas pequenas atitudes cotidianas e no maduro acatamento do conjunto de
princípios e valores morais que nos governam, será capaz de criar uma sociedade
harmônica e ordeira, com a qual todos sonhamos.
“Cerrar sobre o inimigo e atacar o mais próximo possível!”, bem representa a coragem
e a determinação de vencer e de jamais vacilar na defesa dos interesses maiores da
Nação. O destemor ao enfrentar os problemas e adversidades, por maiores que sejam,
deve estar incutido em cada um de nós.
Por fim, “Sustentar o fogo, que a vitória é nossa!”, sinal que fortaleceu o ânimo dos
combatentes à época, impregna-nos hoje do sentimento de vibração e resiliência e
leva-nos a redobrar os esforços na construção de um futuro belo e digno para o
Brasil.
Nesses tempos incertos e nebulosos, a Pátria navega em mar encapelado, hesitando na
busca de um rumo que nos traga maior estabilidade interna e um mínimo de coesão em
torno dos grandes objetivos de desenvolvimento econômico e social.
A Marinha tem fundamental contribuição a dar para superar a crise que se abate sobre
a Nação, a exemplo do que fizeram aqueles heróis de Riachuelo. Somos uma sólida
Instituição, presente em todos os marcantes momentos da história do Brasil, forjada
nos mais caros valores de nossa civilização, com acentuado espírito nacional e com
atuação pautada nos preceitos constitucionais, fiel aos pilares da hierarquia e
disciplina. Atuamos nos mais longínquos rincões deste imenso território, muitas vezes
sendo os únicos representantes do Estado para milhares de brasileiros. Executamos
nossas tarefas principais e subsidiárias com grande entusiasmo, mesmo quando à custa
de grande sacrifício pessoal e familiar.
Meus comandados, após o exitoso desfecho de Riachuelo, o Almirante Tamandaré,
Comandante em Chefe da Força Naval em Operações na Guerra da Tríplice Aliança, assim
escreveu ao Almirante Barroso: “O Governo Imperial e a Nação inteira devem a Vossa
Excelência perenal reconhecimento, e eu, por minha parte, sinto-me possuído de
orgulho por ter a honra de comandar chefes, oficiais, marinheiros e soldados tão
bravos e dedicados à causa nacional.” Essa mensagem de nosso Patrono não poderia ser
mais atual e expressar melhor os meus sentimentos, como seu Comandante, em fazer
parte deste maravilhoso e invicto barco chamado Marinha do Brasil. Agradeço a todos
que o guarnecem, militares e civis, homens e mulheres, por tão bem desempenharem suas
obrigações e engrandecerem, de forma irretocável, a imagem da Instituição.
Assim, nesta Data Magna, é meu dever lembrar e prestar honras aos nossos Marinheiros
e Fuzileiros Navais que padeceram em ação no dia onze de junho de 1865, bem como aos
que deram suas vidas pelo País em tantas outras batalhas e nas Campanhas do
Atlântico. O fogo sagrado desses brasileiros, juntamente com sua bravura e
determinação, forjou a alma de nossa Marinha, permanecendo vivo dentro de cada um de
nós. Que seus exemplos inspirem os nobres agraciados com a Ordem do Mérito Naval, aos
quais publicamente cumprimento pela comenda. Enverguem-na com muito orgulho! As
tradições de nossa Força bem representam a bela história do País.
Viva a Marinha! Tudo pela Pátria!
EDUARDO BACELLAR LEAL FERREIRA
Almirante de Esquadra
Comandante da Marinha

 

  • IMG_7614
  • IMG_7623
  • IMG_7642
  • IMG_7645
  • IMG_7652
  • IMG_7656
  • IMG_7658
  • IMG_7663
  • IMG_7667
  • IMG_7672
  • IMG_7674
  • IMG_7683
  • IMG_7692
  • IMG_7696
  • IMG_7706
  • IMG_7719
  • IMG_7727
  • IMG_7737
  • IMG_7746
  • IMG_7751
  • IMG_7760
  • IMG_7768
  • IMG_7775
  • IMG_7790
  • IMG_7798
  • IMG_7803
  • IMG_7810
  • IMG_7819
  • IMG_7826
  • IMG_7833
  • IMG_7836
  • IMG_7852
  • IMG_7859
  • IMG_7868
  • IMG_7883
  • IMG_7887
Postado às 18h06 DestaqueMarinha Nenhum comentário

Marinha do Brasil realiza plantio de árvores e inaugura bosque no Dia do Meio Ambiente. (Foto: Mikeias Leonardo).

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

As crianças e adolescentes do Programa Segundo Tempo – Forças no Esporte (Profesp) viveram um dia de aprendizado sobre meio ambiente, nesta terça-feira (5), na Estação Radiogoniométrica da Marinha em Natal (ERMN). Foi pelas mãos dos membros do Profesp que foram plantadas as primeiras mudas do Bosque Riachuelo, inaugurado pelo Comando do 3º Distrito Naval na data em que o mundo comemora o Dia do Meio Ambiente e no mês de aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, Data Magna da Marinha do Brasil.

No total, 30 mudas foram plantadas pelas crianças e adolescentes, que tiveram a oportunidade de aprender sobre a importância da preservação do meio ambiente. (Foto: Mikeias Leonardo).

No total, 30 mudas foram plantadas pelas crianças e adolescentes, que tiveram a oportunidade de aprender sobre a importância da preservação do meio ambiente com a fundadora da Organização Não-Governamental Nature Viva Mangue (Navima), a bióloga Rosimeire Dantas. Doadas pelo Parque das Dunas, as plantas são das espécies Ipê Roxo, Guabiraba, Cumichá, Quiri, Maçaranduba, Ubaia Doce e Pau-Brasil. O objetivo é que o novo espaço, junto com a extensa área verde já mantida pela ERMN, de aproximadamente 550 hectares, proporcione a oportunidade de interação de estudantes com a natureza.

Durante a inauguração, as mudas receberam placas que especificavam suas espécies, além de ganharem nomes escolhidos pelas crianças. Uma das participantes da atividade foi Nidia Cristina de Oliveira Freitas, de 10 anos, que se disse feliz em contribuir com a preservação do meio ambiente. “Com essa mudinha estou ajudando o planeta e estou muito feliz com isso”, afirma a menina.

Para a fundadora da ONG Navima, a experiência foi enriquecedora, sobretudo por acontecer em uma data como o Dia Mundial do Meio Ambiente. “A ligação dos humanos com a natureza precisa existir desde sempre. Nada melhor então do que promover essa conexão desde já, pois são essas crianças que serão os cidadãos adultos que teremos no futuro”, disse a bióloga.
O Dia Mundial do Meio Ambiente foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) e acontece todos os anos no dia 5 de junho, tornando-se uma das maiores plataformas globais de divulgação pública das ações e conscientização em relação ao meio ambiente.

A inauguração do Bosque Riachuelo também integra as comemorações alusivas ao aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, a mais importante batalha naval da América do Sul, travada na Guerra da Tríplice Aliança, que completa 153 anos em 11 de junho de 2018.

A inauguração do Bosque Riachuelo também integra as comemorações alusivas ao aniversário da Batalha Naval do Riachuelo. (Foto: Mikeias Leonardo).

Profesp

O Profesp é desenvolvido pelo Ministério da Defesa com o apoio da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, e em parceria com os Ministérios do Esporte e do Desenvolvimento Social e a Secretaria Nacional de Juventude. São oferecidas atividades esportivas, educacionais e de lazer, além de alimentação saudável, reforço escolar e orientações sobre civismo.

No Rio Grande do Norte, o programa funciona em três Organizações Militares da Marinha do Brasil. Além da ERMN, a Base Naval de Natal e o Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal também atendem crianças e adolescentes no âmbito do Profesp.

 

Postado às 23h04 DestaqueMarinha Nenhum comentário

Marinha: concurso para nível superior começa nesta sexta-feira.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

Se você tem nível superior, não deixe de se inscrever para o Concurso Público para ingresso no Quadro Técnico do Corpo Auxiliar da Marinha (CP-T). Dentre os requisitos, o candidato deve ser brasileiro nato, de ambos os sexos e com menos de 36 anos de idade, no primeiro dia do mês de janeiro de 2019. São 27 vagas e as inscrições começam hoje (20/04).

Em 2018, a Administração Naval oferece vagas em Ciências Biológicas (03), Comunicação Social (04), Direito (04), Informática (06), Oceanografia (02), Pedagogia (02), Psicologia (02), Serviço Social (02), Segurança do Tráfego Aquaviário (02 – composto pelas profissões: Engenharia Naval e Ciências Náuticas). As inscrições podem ser feitas até 10 de maio através do site www.ingressonamarinha.mar.mil.br. O valor da taxa de inscrição é de R$ 120,00 e será aceito pagamento até o dia 16 do mesmo mês.

Este concurso prevê o preenchimento de cargos e funções técnico-administrativos que visam às atividades de apoio técnico e às atividades gerenciais e administrativas em geral, além das atividades inerentes à carreira militar.

Os candidatos farão provas de conhecimentos profissionais e redação, de caráter eliminatório e classificatório, com duração de 4 horas. Aqueles que forem aprovados em todas as etapas farão o Curso de Formação de Oficiais (CFO), no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), na cidade do Rio de Janeiro. Ao final de 2019, o militar aprovado no CFO será nomeado Oficial da Marinha do Brasil no posto de Primeiro-Tenente e passará a receber rendimentos brutos inicias de cerca de R$ 11 mil, além de benefícios, tais como alimentação, alojamento, auxílio-fardamento e assistência médico-odontológica.

Concurso Público de nível Superior para o Quadro Técnico – 2018
Inscrição:
20/04/2018 a 10/05/2018
Valor:
R$ 120,00
Informação ao candidato
: sspm.ingresso@marinha.mil.br
Site
: www.ingressonamarinha.mar.mil.br
Siga-nos: www.facebook.com/ingressonamarinha

 

Postado às 08h04 DestaqueMarinha Nenhum comentário

Público poderá visitar o navio no domingo (15), das 13h30 às 17h.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Navio Oceanográfico “Antares”, da Marinha do Brasil, estará aberto à visitação pública no próximo domingo (15), das 13h30 às 17h, na BASE NAVAL DE NATAL, no Alecrim. A atracação na capital potiguar está na programação de uma comissão para coleta de dados oceanográficos e meteorológicos na área marítima compreendida entre o Rio Grande do Norte e o Rio de Janeiro. O “Antares” está em Natal desde quarta-feira (11) e desatracará na próxima terça-feira (17).

A comissão contempla o Plano de Coleta de Dados Oceanográficos da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), que prevê a obtenção de dados físico-químicos da água do mar, destinados à produção de informações ambientais necessárias ao planejamento e condução de operações navais nas áreas de interesse da Marinha do Brasil. Os dados coletados ao longo da comissão contribuirão para o enriquecimento do Banco Nacional de Dados Oceanográficos.

O Navio Oceanográfico “Antares” foi construído na Noruega, adquirido na Inglaterra e incorporado à Armada Brasileira em 6 de junho de 1988. Assim como os Navios Hidroceanográficos e Hidrográficos da DHN, tem como propósito dar prosseguimento aos levantamentos oceanográficos e hidrográficos da área marítima de interesse do Brasil.

Seu nome é uma homenagem à principal estrela da Constelação do Escorpião, uma estrela vermelha, cerca de cem vezes maior que o Sol e que há muitos anos vem auxiliando os navegantes do Hemisfério Austral na obtenção das suas posições no mar.

Construído em 1983 no estaleiro A/S Mejellem & Karlsen, na cidade de Bergen, na Noruega, o “Antares” teve sua quilha batida em 1983 e foi lançado ao mar no mesmo ano. Classificado como Navio de Pesquisa Sísmica, recebeu o nome de M/V “Lady Harrison”, tendo efetuado levantamentos de pesquisa sísmica na área do Mar do Norte, Mar Báltico e Mar Mediterrâneo no período de 1984 a 1986.

Com seu contrato de aquisição assinado em 10 de fevereiro de 1988 entre a Marinha do Brasil e a Racal Geophysics Limited, o navio foi oficialmente entregue e enviado ao Rio de Janeiro.

 

Características do navio

Comprimento: 55 metros

Boca: 10,45 metros

Calado: 5,5 metros

Deslocamento: 1.248 toneladas com plena carga

Velocidade máxima: 10 nós

Acomodações para Pesquisadores: 8 vagas

Comandante: Capitão de Fragata Cesar Reinert Bulhões de Morais

Tripulação: 78 militares (15 Oficiais e 63 Praças)

 

Serviço:

Evento: Visitação pública ao Navio Oceanográfico “Antares”

Local: BASE NAVAL DE NATAL

Data: 15/04/2018

Postado às 14h04 DestaqueMarinha Nenhum comentário

Inscrições estão abertas desde o dia 2 de abril e podem ser realizadas online ou presencialmente.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

A Marinha do Brasil abriu inscrições para o Concurso de Admissão ao Curso de Formação de Sargentos Músicos do Corpo de Fuzileiros Navais em 2019. As inscrições estão abertas desde 2 de abril e seguem até 30 de abril de 2018 e podem ser realizadas pelo site www.marinha.mil.br/cgcfn, no link “Concursos para o CFN”, ou presencialmente.

Na área de jurisdição do 3º Distrito Naval, que compreende os estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, são disponibilizados três locais de inscrição: em Natal, no Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal; em Olinda, na Escola de Aprendizes-Marinheiros de Pernambuco; e em Fortaleza, na Escola de Aprendizes-Marinheiros do Ceará.

Para concorrer, é necessário ser brasileiro, ter idade mínima de 18 e máxima de 24 anos (em 1º de janeiro de 2019) e ter o ensino médio (ou curso equivalente) completo.

A primeira etapa do processo seletivo consiste em um Exame de Escolaridade, constituído de uma Prova Específica de Música e uma Prova de Expressão Escrita, a ser realizada no dia 30 de junho. Posteriormente, os candidatos aprovados e classificados no Exame de Escolaridade serão convocados para a realização da Prova Prática de Música.

O Curso de Formação terá a duração de 18 semanas e será realizado em regime de internato e dedicação exclusiva até o dia da formatura, no Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo, no Rio de Janeiro. Durante o curso, além de serem proporcionados alimentação, uniforme e assistência médico-odontológica, a Praça Especial receberá remuneração atinente à sua graduação, como ajuda de custo para suas despesas pessoais.

São trinta e seis vagas disponíveis, conforme quadro abaixo:

Naipe Vagas Totais
Clarinete em Sib 03 (três vagas)
Saxofone Alto em Mib 05 (cinco vagas)
Saxofone Tenor em Sib 04 (quatro vagas)
Trompete em Sib 06 (seis vagas)
Trompa em Fá 02 (duas vagas)
Trombone Tenor em Dó 04 (quatro vagas)
Euphonium em Dó/Bombardino 02 (duas vagas)
Tuba em Sib/Mib 03 (três vagas)
Percussão (bateria completa) 05 (cinco vagas)
Baixo Acústico 01 (uma vaga)
Harpa 01 (uma vaga)
TOTAL 36 (trinta e seis vagas)

Locais de inscrição no 3º Distrito Naval

Natal (RN) – Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal – Rua Marcílio Dias s/nº – Quintas. CEP: 59037-020 – Telefone: (84) 3216-3455 ou 3216-3414 Ramal 2112.

Fortaleza (CE) – Escola de Aprendizes-Marinheiros do Ceará – Avenida Coronel Filomeno Gomes s/nº – Jacarecanga. CEP: 60010-280 – Telefone: (85) 3288-4704 e 3288-4734.

Olinda (PE) – Escola de Aprendizes-Marinheiros de Pernambuco – Avenida Olinda s/nº – Complexo do Salgadinho. CEP: 53010-000 – Tel: (81) 3412-7615.

“Marinha do Brasil, protegendo nossas riquezas, cuidando da nossa gente”

 

 

 

Postado às 22h04 DestaqueMarinha Nenhum comentário

Vice-Almirante Leandro é o novo Comandante do 3º Distrito Naval .

O governador Robinson Faria prestigiou a cerimônia.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Vice-Almirante Joése de Andrade Bandeira LEANDRO assumiu o Comando do 3º Distrito Naval durante Cerimônia Militar realizada na manhã desta terça-feira (03), na Base Naval de Natal. A solenidade contou com a presença do Governador do Estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, do Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Paulo Cezar de Quadros Küster e de diversas autoridades civis e militares.

Após um ano e seis meses à frente do Comando do 3º Distrito Naval, que compreende toda a costa entre o Ceará e Alagoas, o Vice-Almirante Renato Rodrigues de Aguiar Freire deixa o cargo para assumir outros compromissos profissionais.

“Após cerca de um ano e seis meses exercendo o honroso cargo de Comandante do 3º Distrito Naval, é hora de me despedir. Como disse ao aqui chegar, as múltiplas atribuições e complexas e diversificadas atividades deste Comando, bem caracterizam o quão importante a região é para o país”, afirmou o Vice-Almirante Aguiar Freire.

“Reafirmo o compromisso de total dedicação; não somente a minha, mas a de todas as tripulações do 3º Distrito Naval, no cumprimento de nossa missão, alicerçados pela hierarquia e disciplina, e motivados a buscar soluções simples, eficazes e eficientes, por mais complexo que se apresentem os problemas”, Vice-Almirante Leandro.

Nascido no ano de 1961 em Santa Catarina, o Vice-Almirante Leandro ingressou no Colégio Naval em 1976 e teve sua formatura na Escola Naval em 1982. Com curso de Aperfeiçoamento de Armamento, serviu em diversos Navios da Esquadra, integrando os grupos de Recebimento do ex-Contratorpedeiro “Pernambuco” e da Corveta “Júlio de Noronha”.

O Vice-Almirante Leandro comandou a Corveta “Caboclo”, o Navio de Apoio Oceanográfico “Ary Rongel”, o Colégio Naval e foi Capitão dos Portos de Pernambuco. Em seu currículo também está o Comando da Força-Tarefa Marítima da Força Interina de Paz das Nações Unidas no Líbano, de fevereiro de 2013 a março de 2014.

Os últimos cargos ocupados foram de Coordenador do Programa de Reaparelhamento da Marinha, de março de 2014 a abril de 2016; e Chefe do Gabinete do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, cargo que ocupava antes da nomeação para o Comando do 3º Distrito Naval. Foi promovido a Contra-Almirante em novembro de 2011 e a Vice-Almirante em março de 2016.

Comando do 3º Distrito Naval

O Comando do 3º Distrito Naval tem cinco estados em sua área de jurisdição: Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. A sede fica localizada no bairro de Santos Reis, em Natal. Nos cinco estados que compõem a área, o Com3ºDN possui 28 Organizações Militares subordinadas, incluindo 8 navios.

  • IMG_4925
  • IMG_4926
  • IMG_4930
  • IMG_4935
  • IMG_4949
  • IMG_4950
  • IMG_4973
  • IMG_4975
  • IMG_4978
  • IMG_4981
  • IMG_4983
  • IMG_4984
  • IMG_4994
  • IMG_5012
  • IMG_5016
  • IMG_5017
  • IMG_5022
  • IMG_5025
  • IMG_5029
  • IMG_5032
  • IMG_5034
  • IMG_5046
  • IMG_5053
  • IMG_5057
  • IMG_5060
  • IMG_5068
  • IMG_5071
  • IMG_5076
  • IMG_5077
  • IMG_5079
  • IMG_5083
  • IMG_5086
Postado às 15h03 DestaqueMarinha Nenhum comentário

GptFNNa celebra 2010 anos do Corpo de Fuzileiros Navais

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal realizou na manhã desta quarta-feira (7), cerimônia militar alusiva ao 210º aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais, presidida pelo Capitão-de-Fragata (FN) Luiz Octávio comandante do GptpFNNa.

Os Fuzileiros Navais de todo Brasil comemoram 210 anos de existência, com muito trabalho e persistência para manter uma honrosa tradição iniciada em 07 de março 1808 com a chegada da família Real ao Brasil.

Ordem do Dia do Comandante Geral do CFN  

Assinalar os 210 anos de existência do Corpo de Fuzileiros Navais implica em

refletirmos sobre o caráter perene desta Instituição, uma das mais antigas do país, cuja origem é

oficialmente atribuída à chegada da Família Real ao Rio de Janeiro, em 7 de março de 1808. O

suceder de dias, meses e anos nem sempre nos propicia a clareza necessária à compreensão de

nossa evolução histórica. É na celebração de datas marcantes como esta que nos proporcionamos

a pausa necessária à reflexão acerca de tudo o que foi planejado, trilhado e conquistado nessa

longa e exitosa trajetória.

 

O Corpo de Fuzileiros Navais construiu, nos últimos 210 anos, uma história rica,

na qual atuou em diversas questões importantes para a Marinha do Brasil e para o destino do

país. Sempre que chamados, confirmamos nosso caráter de prontidão, o qual diz respeito não

apenas à capacidade de atender em tempo hábil às solicitações, mas também à plena disposição

que cada Fuzileiro Naval possui, de corpo e alma, para defender os interesses da pátria.

Fazendo jus à confiança que sempre nos foi depositada pela Marinha do Brasil,

pelas demais Forças Armadas e pela sociedade brasileira, cuidamos para que nosso preparo e

adestramento visem ao atendimento dos anseios da nação e, dessa forma, temos conduzido ao

longo desses anos nosso trabalho silencioso. Porque acreditamos que mais importante do que

alardear nossos feitos, é manter uma postura abnegada e confiante, que permita nosso

progressivo aprimoramento. Não deve haver espaço para o protagonismo pautado no interesse

individual nem para a improvisação. O trabalho em equipe, em prol de um objetivo comum, que

se sobreponha a qualquer interesse pessoal, é o que exclui esse tipo de protagonismo. E o

planejamento cuidadoso, detalhado e comprometido com nossas metas é o que afastará a

possibilidade de improviso.

 

Uma instituição com uma história longa e virtuosa como a do CFN deve preservar

sua memória institucional, a fim de manter vivo o trabalho desenvolvido pelas sucessivas

gerações que construíram os alicerces para a presente atuação do Corpo. Aqueles que valorizam

o passado se preparam melhor para o futuro, ao extrair aprendizado de suas experiências e

promover a avaliação das dificuldades e progressos de cada época. Passado e futuro, aliás, muito

bem representados nesta cerimônia, onde vemos, ombreados, a reserva ativa do CFN, que são os

nossos veteranos, e os Aspirantes Fuzileiros Navais da Escola Naval, certeza da perenidade de

nossa Instituição.

 

Nesse contexto, verificamos ser notável a evolução vivida pelo CFN ao longo dos

últimos anos. Foram avanços significativos nas áreas operativa, de pessoal, de material, de

doutrina, de Defesa NBQR e dos desportos.

 

Para se manterem no estado de pronto emprego, nossos combatentes cumprem um

completo e intenso programa de adestramento, o qual é coroado com exercícios de grande vulto.

Entre eles, destaca-se a Operação Dragão, que voltou a ocorrer anualmente. Outra conquista

recente foi a implementação da Comissão de Inspeção e Assessoria de Adestramento que, sob as

ordens do Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra e com o apoio do Comando do

Desenvolvimento Doutrinário do CFN, contribuirá sobremaneira para o aprestamento da “Força

que vem do mar”. Convém ressaltar que, a despeito das restrições orçamentárias dos últimos

anos, o setor operativo vem mantendo seu elevado padrão de atuação, com destaque para o

adequado preparo para as diversas missões nas quais os Fuzileiros Navais foram empregados

recentemente, sobretudo aquelas relacionadas aos grandes eventos realizados no país e às

Operações de Garantia da Lei e da Ordem em vários estados da Federação, bem como na

Intervenção Federal ora em curso no Estado do Rio de Janeiro.

 

Nesse último ano, o Brasil encerrou sua participação na Missão das Nações

Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH), a qual foi marcada pelo protagonismo do

país e sua crescente importância no cenário internacional por meio de sua atuação em Missões de

Paz. Por um período de 13 anos, o Corpo de Fuzileiros Navais enviou 703 Oficiais e 5.412

Praças nos 26 contingentes, os quais cumpriram bravamente a missão, tornando-se parte

importante na história daquele país, mas passando também, cada um desses militares, a ter o

Haiti como parte de sua história pessoal. Nesse momento, muitos deles estão se preparando para

uma possível nova Missão de Paz, desta vez na República Centro-Africana.

 

O pessoal continua a ser conduzido como o principal bem do CFN. Com o intuito

de aprimorar a gestão de recursos humanos, inúmeros estudos foram conduzidos visando

adaptações e melhorias na carreira de Oficiais e Praças. Temos visto esforços direcionados para a

busca da excelência no recrutamento, na instrução e no preparo, a fim de garantir um Fuzileiro

Naval profissional, física e mentalmente preparado, e dotado de um sentimento de pertencimento

ao CFN, de tal monta que o faça externar, em qualquer situação, o orgulho de ser um Fuzileiro

Naval.

 

No que concerne ao material, buscamos continuamente o objetivo de equipar

adequadamente nossos Grupamentos Operativos e promover a modernização e o

desenvolvimento tecnológico do CFN, contribuindo ainda para o fomento da indústria nacional

de defesa. Referente às últimas conquistas, cabe registrar a fundamental importância da

aquisição pela MB do navio OCEAN, o qual possibilitará o aumento da capacidade de nossa

Força para realizar Operações Anfíbias. Somado a isso, começamos a receber no último ano os

novos CLAnf de última geração, cuja obtenção, que está prevista para ser concluída até o fim de

2018, contribuirá para elevar a capacidade anfíbia de nossa Marinha.

 

As lições aprendidas com nossas próprias experiências ao longo desses anos

contribuíram certamente para o aperfeiçoamento da Doutrina do CFN, a qual vem

acompanhando as evoluções tecnológicas e bélicas, orientando, de maneira sinérgica, a formação

de nossos recursos humanos, a obtenção e manutenção de material de uso exclusivo e

preponderante de Fuzileiros Navais e o aprestamento e emprego operacionais.

Ressalto também, grandes avanços na área de Defesa Nuclear, Biológica, Química

e Radiológica, não só no tocante ao apoio ao Programa Nuclear da Marinha, mas também como

no preparo dos Grupamentos Operativos de Fuzileiros quanto à proteção dos mesmos frente a

ameaças NBQR.

 

Dentro do portfólio de atividades conduzidas pelo Corpo de Fuzileiros Navais, há

também aquelas levadas a efeito com vistas a atender demandas sociais e apoiar o

desenvolvimento do esporte nacional. Destacam-se, neste conjunto, as palestras sobre valores

cívicos para alunos de Escolas Públicas, os projetos ligados ao Programa Olímpico da Marinha

(PROLIM) e as ações direcionadas ao esporte como instrumento de inclusão e sociabilização,

como o Projeto Forças no Esporte. Independente das restrições orçamentárias, o Corpo de

Fuzileiros Navais vem envidando esforços e efetivando ações junto a parceiros e instituições

públicas e privadas de modo a possibilitar a continuidade dos processos e atividades nesta área,

cujos resultados foram tão satisfatórios e importantes para toda a sociedade.

A ocasião do aniversário do CFN é também propícia para relembrarmos os

valores essenciais nos quais se balizam as ações de cada Fuzileiro Naval: honra, competência,

determinação e profissionalismo. Acreditamos na importância de reforçar tais preceitos e

trabalhar diariamente os pilares que constituem a nossa identidade enquanto militares e que

orientam a conduta de todos e de cada um de nós no cumprimento de nossa nobre missão. No

ano de 2017, elegemos a Honra como valor a ser enaltecido e relembrado diariamente em nossas

ações.

 

Em 2018, é a vez de trabalharmos o valor Competência, como o atributo a nortear

nossa atividade profissional, rumo à excelência que buscamos em tudo que fazemos. O valor

competência consiste na junção coordenada de conhecimentos, atitudes e habilidades. É ter

qualificação, possuir experiência profissional e, ultrapassando os imprevistos inerentes à

atividade militar, ser capaz de obter os resultados almejados. O esforço institucional do CFN tem

sido direcionado para a busca constante da consecução plena desse atributo. Envolvidos por esse

propósito, os Fuzileiros Navais de todo o Brasil, tanto os da ativa quanto os da reserva ativa,

devem primar pela competência diariamente em seus afazeres, desde as tarefas mais simples às

mais complexas, pois o esforço individual para o acerto nas mínimas ações conduzirá ao

cumprimento exitoso dos objetivos maiores de nossa Instituição.

 

Nesta Fortaleza de São José da Ilha das Cobras, cuja ocupação nos foi designada,

em 1809, logo após o regresso de nossa primeira prova de fogo em Caiena, prestamos merecida

homenagem a todos aqueles que nos antecederam, destacando os primeiros Fuzileiros Navais

que nesta cidade aportaram com a Brigada Real da Marinha em 1808 e inspiraram a valorosa

Instituição que hoje integramos.

 

Por último, não podemos deixar de, nesse momento em que comemoramos os 210

anos do Corpo, relembrar todos os 1.622 Fuzileiros Navais – imortalizados no monumento à

nossa frente -, que entregaram prematuramente suas vidas pela pátria, colocando à frente de seus

interesses pessoais o chamamento maior de uma nação e a defesa de nossa soberania.

Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil, comemoremos os 210 anos de nossa

virtuosa existência. Que possamos conservar o espírito de corpo – esse sentimento de pertencer a

algo maior do que a própria individualidade –, que nos é tão característico, e dar continuidade,

com coragem, tenacidade e determinação, ao trabalho conduzido pelos homens e mulheres que

hoje constituem o Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil. Estamos e estaremos

sempre prontos para o cumprimento das missões que nos forem confiadas.

 

Que Deus nos permita manter a fé.

Fuzileiros Navais – confie neles!

ADSUMUS!

ALEXANDRE JOSÉ BARRETO DE MATTOS
Almirante de Esquadra (FN)
Comandante-Geral

Postado às 19h02 DestaqueMarinha Nenhum comentário

Comando do Pessoal de Fuzileiros Navais oferta 1.300 vagas para Soldados.

Redação/Portal de notícias e fotojornalismo Natal/eliasjornalista.com

O Comando do Pessoal de Fuzileiros Navais disponibilizou 1.300 vagas no Concurso de Admissão às Turmas I e II de 2019 do Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais. Do total de vagas, 18 são para militares servirem, inicialmente, no Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal (GptFNNa), Organização Militar subordinada ao Comando do 3º Distrito Naval.

As inscrições podem ser realizadas no período de 1º a 30 de março, presencialmente ou online, no site https://www.marinha.mil.br/cgcfn/, onde também está disponível o edital do concurso.

Nos estados que compõem a área de jurisdição do 3º Distrito Naval – Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Alagoas e Pernambuco – as inscrições presenciais acontecerão nos seguintes locais: Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal – Natal (RN); Capitania dos Portos da Paraíba – João Pessoa (PB); Escola de Aprendizes-Marinheiros do Ceará – Fortaleza (CE), Capitania dos Portos de Alagoas – Maceió (AL); e Escola de Aprendizes-Marinheiros de Pernambuco – Recife (PE).

Os principais requisitos para inscrição são: ser brasileiro do sexo masculino; ter idade mínima de 18 e máxima de 21 anos em 1º de janeiro de 2019; e ter o ensino médio completo.

Além do GptFNNa, no momento da inscrição o candidato poderá optar por concorrer às vagas dos seguintes locais para servir inicialmente: Unidades da Marinha no Rio de Janeiro (RJ); Unidades da Marinha em Brasília (DF); Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande (RS); 1º Batalhão de Operações Ribeirinhas em Manaus (AM); 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas em Belém (PA); Grupamento de Fuzileiros Navais de Ladário (MS); Grupamento de Fuzileiros Navais de Salvador (BA); e Batalhão de Defesa NBQR de Aramar (SP). A distribuição das vagas ocorrerá de acordo com as necessidades da Administração Naval.

Processo seletivo

A primeira etapa do processo seletivo consiste em exame de escolaridade, com provas de Português e Matemática, a ser realizado no dia 29 de maio de 2018. Os aprovados na etapa inicial passarão ainda por verificação de dados biográficos e de documentos, teste psicológico, inspeção de saúde e teste de suficiência física.

Curso

O curso de formação terá a duração de 17 semanas e será realizado em órgãos de formação do Corpo de Fuzileiros Navais no Rio de Janeiro e em Brasília.

Durante o curso, além de serem proporcionados alimentação, uniforme e assistência médico-odontológica, o Recruta Fuzileiro Naval receberá remuneração atinente à sua graduação, como ajuda de custo para suas despesas pessoais.

 

Página 4 de 17« Primeira...23456...10...Última »