Marca Maxmeio

Postado às 12h03 DestaqueFotografia Nenhum comentário

Primeira parada da Expedição: Pedra da Boca, localizada na divisa da  Paraíba e o Rio Grande do Norte (Cidade de Passa e Fica). Foto: Alex Gurgel.

Parada na cidade de Bananeiras-PB o foco da Expedição.

A Expedição segue pelas ruas de Bananeiras-PB, com o presidente da Aphoto, Alex Gurgel e Joílson Custódio, guia local.

Redação/eliasjorbalista.com

Dia memorável para os participantes da Expedição ao Brejo Paraibano, organizada pela Associação Potiguar de Fotografia (Aphoto), neste domingo (10). A expedição percorreu à Serra da Borborema e as cidades que ficam em torno da região conhecida como “Brejo Paraibano” que são Bananeiras, Areia e Guarabira, passando pela cidade de Passa e Fica para fotografar a Pedra da Boca.

Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (IPHAEP), a cidade de Bananeiras mantém e preserva a identidade cultural do Brejo Paraibano, além de receber anualmente grupos de turistas de vários estados brasileiros, sobre tudo os nordestino, com destaque para o Rio Grande do Norte, que vem se alimentar da cultura regional. “O retorno que a cidade recebe, é a satisfação de quem nos visita e que ele saia feliz dizendo que deseja voltar novamente. Para quem não conhece e tem bom gosto de cultura arruma a mala e vem sim bora”, convida Joílson Custódio, guia local que brinda os visitantes com suas histórias hilárias e inteligentes sobre a cultura do lugar.

As expedições fotográficas tem o objetivo de reunir fotógrafos profissionais e amadores para exercitar seus olhares em roteiros chamados “Ecoturismo ou Culturais”. “São passeios diversificados em suas propostas, possibilitando ter mais experiência de campo, captando imagens de roteiros tradicionais e inusitados”, destaca Alex Gurgel, presidente da Associação Potiguar de Fotografia (Aphoto).

Segundo o diretor da Aphoto, Luciano Nobre as expedições costumam se dividir em duas etapas: o primeiro encontro objetiva a prática, e o segundo é destinado à análise dos trabalhos fotográficos que são apresentados através de um “Sarau Fotográfico” onde são projetadas imagens realizadas pelos participantes, que além de possibilitar uma maior interação, troca de experiência e até mesmo fechando parcerias de trabalho.

Início da expedição – Parque Estadual da Pedra da Boca

Localizado ás margens do rio Calabouço, afluente que faz a divisa entre a Paraíba e o Rio Grande do Norte (Cidade de Passa e Fica), no município de Araruna, na Paraíba, o Complexo Ambiental Pedra da Boca é um parque estadual paraibano instituído desde 2000, quando se tornou uma área de conservação permanente. Hoje é um dos picos preferidos pelos praticantes de aventura e amantes da fotografia que desejam fazer belos registros sobre a natureza. O patrimônio natural do parque é riquíssimo e se divide em cavernas e formações rochosas. O nome Pedra da boca surgiu de uma fenda que ela tem em seu corpo, fenda que lembra uma boca aberta, boca que lembra um sapo, segundo moradores nativos locais.

Chegada ao Brejo Paraibano – Cidade de Bananeiras e Areia

A cidade de Bananeiras-PB, localizada na Serra da Borborema é caracterizada pela sua exuberância e cenários naturais. Alardeada em 1974, pelo então ministro da saúde, Paulo de Almeida Machado, como uma cidade de clima e relevo europeu em pleno coração nordestino, continua impressionando historiadores e turistas que buscam conhecer a História e a cultura da mais importante região do ciclo do açúcar. Tudo isso aliado aos roteiros de ecoturismo composto por serras, vales, cachoeiras, matas e rios, onde a natureza privilegia o Brejo Paraibano.

Areia-PB se localiza na microrregião do Brejo Paraibano, e também conhecida por suas riquezas naturais e culturais, uma região de clima europeu, onde no inverno fica coberta de neblinas, além de possuir diversos balneários aquáticos e relevo propício a prática do ecoturismo.

Entre os participantes estavam fotógrafos experientes e outros nem tanto.

“Minha primeira expedição pela Aphoto, adorei não apenas pela oportunidade de fotografar ambientes diferentes ligados a natureza, mas sim pela integração que estas expedições nos proporcionam de conhecer novos lugares e novas pessoas fazendo algo que se gosta reunidas por uma só motivo: a paixão pela fotografia”, disse Sofia Silva, fotógrafa amadora.

Para o fotógrafo Dijah Abreu Junior, que trabalha com computação gráfica, as expedições são um forma de aliviar o estresse semanal. Além de uma ótima oportunidade de conhecer profissionais da mesma área, trocar ideias e compartilhar amizades que fazem parte do cotidiano e que não temos tempo de encontrá-los.

“A expedição para o Brejo Paraibano foi algo incomum, poder visitar centros históricos, cidades antigas, muito bem conservadas, que recebem com espontaneidade os turistas foi muito preciso e totalmente enriquecedora essa expedição” Disse Carla Belke, médica veterinária e fotógrafa.

Galeria com fotos dos participantes da Expedição:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *